Quando se fala em cortar o cabelo, quase que podemos dividir as mulheres em três grupos diferentes: aquelas que vão todas as semanas a um salão — como se fosse uma alternativa ao brunch de domingo, independentemente do que vão fazer; aquelas que vão de três em três meses, religiosamente; e aquelas que vão uma vez por ano, às vezes nem isso. Também há aquelas que, com mais ou menos regularidade, optam por fazer o corte em casa — e talvez já tenham aparecido nalgum espaço profissional porque, bem, fizeram asneira.

Seja qual for o grupo em que se insira, e qual o tipo de cabelo que tem — curto, longo, liso, encaracolado ou até pintado —, é provável que tenha uma atenção extra com ele. O corte é essencial para manter um look moderno e os fios saudáveis, mas com que regularidade é que devemos mesmo dar-lhe com a tesoura? Os cabeleireiros Anabela Pereira e o Fábio Blue respondem a esta e outras questões.

“O cabelo é a nossa imagem de marca, é um acessório de moda”

Ana Pereira, proprietária do Manubela Cabeleireiros, um espaço que herdou do pai, Manuel — daí a fusão dos dois nomes —, é cabeleireira há mais de 25 anos. No currículo conta com a experiência de tratamento dos cabelos de várias figuras públicas como as influenciadoras Helena Coelho e Mafalda Castro, as atrizes Carolina Loureiro e Sara Barrada, e até a cantora Bárbara Bandeira.

Quando lhe colocamos a questão: "Afinal, com que regularidade se deve cortar o cabelo?", a resposta é imediata. A profissional de cabelos aconselha os seus clientes a cortarem as pontas do cabelo a cada dois/três meses.

O cabelo é a nossa imagem de marca, é um acessório de moda. A nível de estética há pessoas que querem manter sempre a mesma linha de corte, então cortam com mais regularidade", diz à MAGG. “Quando se corta as pontas o cabelo, automaticamente, fica com um aspeto mais saudável e a fibra fica com uma estrutura muito melhor”.

Anabela explica que grande parte dos cabelos podem ficar sensibilizados e, com um corte regulado, evita a quebra da fibra e do cabelo. “Quanto mais cortar, a ilusão que dá é que mais cresce", explica. Isto acontece devido às pontas que ficam com uma maior densidade e o cabelo não parte com tanta facilidade. "Grande parte das pessoas que dizem que o cabelo parte e que não cresce deve-se ao facto de  não estar nutrido e, portanto, partir”.

"Um corte de saúde é quase como uma ida ao médico"

O cabeleireiro Fábio Blue, que trabalha no salão 5ª Avenida, alarga um bocadinho o prazo. Mas só um bocadinho: na sua opinião, o cabelo deve ser cortado a cada três/quatro meses.

"Ainda que seja um corte só de saúde, é quase como uma ida ao médico, só mesmo pela saúde do cabelo", diz. Este período de tempo é o aconselhável para todos os cortes, garante, se o objetivo for manter o cabelo saudável. Mas ainda assim, Fábio refere que quem tem um corte de cabelo mais curto por norma corta, não por uma questão de saúde, mas por uma questão de querer manter o corte no mesmo registo.

Várias mulheres que têm cabelos compridos acreditam que ao cortá-lo com muita regularidade, este cresce mais depressa. Fábio Blue afirma que isto não se comprova, no entanto, as pontas do cabelo são a zona mais debilitada e que rapidamente fica com falta de proteína e têm tendência para quebrar. O que faz com que muitas mulheres acabem por perder milímetros de cabelos, diariamente, sem se aperceberem.

"Ele não cresce mais rápido por o cortar, mas parte menos. E ao partir menos, vê-se mais o crescimento”, explica Fábio e acrescenta: "O cabelo cresce dois ou três centímetros por mês. Portanto, se cortarmos centímetros ou milímetros de cabelo, ele acaba por crescer mais do que aquilo que é cortado e a mulher que tem o cabelo mais comprido, que o preza e o quer manter saudável, tem de o cortar com muita regularidade nem que seja só aqueles três ou quarto milímetros".

O estado emocional também influência o crescimento dos fios

Os mitos levam muitas pessoas a fazer decisões erradas, tal como a internet que acaba por influenciar e levar as pessoas a comprar determinados produtos. Os cabeleireiros acham pertinente desmistificar alguns mitos, como aquele que diz que o cabelo cresce mais se o cortar em quarto minguante ou em quarto crescente.

Fábio e Anabela garantem que isto não faz sentido. No entanto, o cabeleireiro da 5ª Avenida explica que o estado emocional pode sim influenciar o couro cabeludo e a saúde de um cabelo. "Quando as pessoas estão de férias e sem stresse, o couro cabeludo fica muito mais saudável. O que poderá na eventualidade também ter influência no crescimento”, diz.

Fábio faz um alerta às pessoas para cortarem o cabelo regularmente, e aborda a importância de recorrerem aos salões profissionais para fazerem tratamentos. Na sua opinião, devem usar-se também produtos profissionais em casa. Um must have, diz, é a gama de proteína da Redken, Extreme, mais especificamente a mega mask. Ao contrário de Fábio, Anabela acredita que cada cabelo tem várias características próprias e que existe um vasto leque de produtos que se adequa a cada um. Portanto, não aconselha um must have mas sim um diagnóstico.

As pessoas devem focar-se e tirar as dúvidas aos profissionais em vez de comprarem as coisas por comprar. Há cada vez mais casos de pessoas com problemas de fibra devido à incompatibilidade de produtos", refere.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.