Nos meses mais frios, a sociedade esforça-se por encontrar soluções que minimizem os constrangimentos de quem vive na rua. Em Lisboa, por exemplo, é habitual ver as estações de metro abertas durante a noite e as equipas de apoio fazem campanhas para a doação de alimentos, mas também de roupa e cobertores.

Na Austrália, foi testada uma nova forma de abrigar quem não em casa. Norman McGillivray — cujo pai já morou na rua após perder o emprego — imaginou um cenário no qual um parque de estacionamento e transformasse, durante a noite, num refúgio para os sem-abrigo.

Fundou a instituição BedDown, que pretende dar um novo uso a espaços que à noite fiquem vazios, conseguiu as devidas autorizações e transformou um parque de estacionamento num dormitório, como escreveu o site "The BL". A instituição decidiu testar a experiência durante duas semanas com 41 sem-abrigo — 77% do sexo masculino e 23% do sexo feminino — numa das sedes do estacionamento "Secure Parking". No final, pediu-lhes uma avaliação da experiência. Resultados? Classificação de 4,5 em 5 para a noite lá dormida, tal como as camas que também foram avaliadas com uma pontuação média de 4,5 em 5. Todos os sem-abrigo garantiram que se sentiram seguros no local. "Fui capaz de dormir a noite toda e longe das drogas. Estou mais consciente durante o dia e não uso drogas há 8 dias", explicou um sem-abrigo, segundo o "The BL","É a primeira vez que sonho há anos", disse um outro utente.

No grupo de teste, 77% dos sem-abrigo eram do sexo masculino

O espaço foi cedido por oito horas e o objetivo da iniciativa era precisamente ajudar os sem-abrigo a conseguirem dormir o número de horas suficiente com o mínimo de condições. Segundo a instituição, um dos problemas detetados entre os sem-abrigo é exatamente esta ausência de uma noite descansada com as horas mínimas de sono, situação que pode levar a problemas como depressão, baixa imunidade e diabetes.

Para criar um espaço agradável para uma noite de sono,os voluntários juntaram vários colchões com lençóis e cobertores, mas também proporcionaram outros cuidados como assistência médica, odontológica, de enfermagem, cabeleireiro, dentista e ainda forneceram roupas novas e um local para tomarem banho.

“O tamanho de um estacionamento geralmente tem cinco metros de comprimento por três metros de largura. Dá para acomodar até três camas numa única vaga. Além disso, estes estacionamentos geralmente estão bem localizados, portanto, são acessíveis a pessoas que precisam de um lugar para dormir”, afirma Norm McGillivray.

Fotografia partilhada no instagram da instituição

O sucesso do projeto foi imediato e a instituição quer agora trabalhar com os seus parceiros para criar soluções a longo prazo.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.