Um jovem de 25 anos foi detido pela Polícia Judiciária na noite desta quarta-feira, 27 de maio, por suspeitas de ter assassinado a colega, com 23. Suspeita-se que os motivos foram uma relação obsessiva e ciúmes. Ambos os jovens eram estudantes universitários de Psicologia numa faculdade pública em Lisboa.

Após ser detido, o rapaz terá confessado ter enterrado o corpo da colega junto ao rio Tejo. O crime terá sido cometido há algumas semanas, altura em que a família da rapariga a deu como desaparecida.

Pai e madrasta de Valentina apanhados por câmara de videovigilância de bomba já depois do crime
Pai e madrasta de Valentina apanhados por câmara de videovigilância de bomba já depois do crime
Ver artigo

Embora a participação tenha sido feita à PSP, como a jovem era maior de idade, o desaparecimento não pode ser investigado como um crime, porque existia a possibilidade de o desaparecimento ter sido voluntário.

A PJ apurou no entanto alguns indícios suspeitos e passou a investigação para a secção de homicídios da diretoria de Lisboa na última sexta-feira. Foi aí que o maior suspeito começou a ser o colega da vítima que, segundo a família, estava numa relação abusiva com a rapariga. Ao ser interrogado e confrontado nesta quarta-feira, terá confessado que matou a namorada e escondeu o corpo. Até ao momento, o cadáver não foi, no entanto, encontrado.

Acredita-se que o crime foi cometido na casa da rapariga, já que lá foram encontrados vestígios de sangue.

O rapaz de 25 anos está detido por crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.