O primeiro mês de funcionamento dos 41 radares de controlo de velocidade de Lisboa foi frutífero. Completamente novos ou apenas reativados, registaram, entre 1 e 30 de junho, um total de 38.018 infrações. Feitas as contas, poderão estar em causa mais de 2,2 milhões de euros de receita.

Isto tendo em conta que o valor mínimo das multas de velocidade é de 60€ para quem for apanhado a conduzir até 20 km/h acima do limite no local e pode chegar aos 2500€ (mais de 60 km/h). Operados pela Câmara de Lisboa, estes aparelhos apanharam, em média, 1267 condutores em excesso por dia, revela o "Correio da Manhã".

Caça à multa avança em força. Governo quer faturar 129 milhões com novos radares
Caça à multa avança em força. Governo quer faturar 129 milhões com novos radares
Ver artigo

Porém, a autarquia já veio adiantar que se tratam de números provisórios: "Não são números efetivos relativos a infrações consideradas elegíveis, visto que, em muitos casos, poderemos estar a falar de situações relacionadas com, por exemplo, veículos prioritários em missão de polícia ou socorro", cita o CM.

Caso estes números se verifiquem, significa que os radares em questão já geraram receitas que cobrem o investimento inicial, de 2,14 milhões de euros, no primeiro mês em funcionamento. Os sítios com mais infrações de velocidade registadas no mês de junho, de acordo com os dados da CML, foram a Avenida Lusíada, a Avenida Padre Cruz e a Avenida Infante Dom Henrique.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.