A partir de 23 de setembro, pode voltar a visitar a exposição "Viral" no Pavilhão do Conhecimento. Aquela que foi uma das mais visitadas exposições de sempre do museu situado no Parque das Nações, em Lisboa, está de volta com conhecimentos e informações atualizadas sobre a pandemia da COVID-19.

"Viral", ideal para ser visitada em família, pretende responder às dúvidas que, nos últimos seis meses, ocuparam as nossas mentes quase diariamente: "O que é o contágio? Como controlar uma pandemia? Porque é tão importante lavar as mãos? O que estão os cientistas de todo o mundo a fazer para travar a pandemia? Qual o papel dos cidadãos e da sociedade em geral? Como pode a resiliência ajudar-nos a ultrapassar este capítulo?".

Exposição Viral Pavilhão do Conhecimento

E porque adquirir conhecimento científico não tem de ser aborrecido, a exposição "Viral" está dividida em 24 módulos interativos, que vão ensinar miúdos e graúdos a, por exemplos, capturar um gangue de bactérias e vírus de ar inocente e conhecer o maior agente de contágio do mundo.

"Viral" é uma exposição produzida pelo Pavilhão do Conhecimento em colaboração com os museus Cité des Sciences et de l'Industrie (Paris) e Heureka (Helsínquia). , e pode ser visitada no Pavilhão do Conhecimento até Fevereiro de 2021.

A exposição pode ser visitada até fevereiro de 2021. As visitas podem ser agendadas no site do Pavilhão do Conhecimento.  O bilhete para adultos custa 10€. As crianças até 2 anos têm entrada grátis. Entre os 3 e os 11 anos, o bilhete custa 7€ e, dos 12 aos 17 anos, 8€. O bilhete de Família (2 adultos com filhos até aos 17 anos) custa 25€.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.