Bárbara Corby é conhecida por várias facetas: influenciadora digital, empresária, mãe. E, a partir de agora, escritora: "Eu Já Devia Saber", o primeiro livro da influenciadora digital, foi lançado em pré-venda esta quarta-feira, 13 de abril.

Bárbara Corby lança coleção de pijamas feitos em Portugal. Despache-se, antes que esgote
Bárbara Corby lança coleção de pijamas feitos em Portugal. Despache-se, antes que esgote
Ver artigo

Em conversa com a também criadora de conteúdos, ficámos a saber que Bárbara Corby escreveu o seu primeiro livro de coração partido. Aliás, nem era para ser um livro, mas sim uma mera história em jeito de "refúgio". Apesar de ser ficção, é baseado em "muitas experiências" da autora, bem como das irmãs e das amigas.

"Há muitos anos, tinha acabado um relacionamento e estava mesmo muito mal. Na fossa mesmo. Então, comecei a escrever uma história no computador. Depois, adormeci, e nunca mais me lembrei disso", revela à MAGG. Há cerca de três anos, reencontrou o ficheiro. "Isto até tem graça. Se calhar, vou continuar a história", recorda.

"Sempre que voltava ao livro, tinha de começar a ler do início. Já não me lembrava do nome das personagens"

Foi assim que o enredo se materializou em cerca de 50 páginas, mas veio outra paragem. Entretanto, Bárbara Corby foi contactada por uma editora, que lhe propôs escrever um livro autobiográfico. "Sobre a minha carreira. E eu disse que não tinha carreira nenhuma, porque não vivi nada. Não tenho nada de jeito para dizer", recordou, rejeitando o convite.

Porém, lembrando-se da história que havia ficado "na gaveta" (é mais "na pasta" do computador), realizou uma contraproposta. "Comecei a escrever um romance há uns anos", revelou à editora, que, quando leu o produto, "que não era quase nada", segundo a autora, viu potencial. Tudo isto aconteceu antes de Bárbara Corby engravidar.

A gravidez inesperada forçou outra paragem no processo de produção da obra. "Esqueci-me completamente do livro. A minha vida estava a dar uma grande volta. Veio a pandemia. Passaram-se quase dois anos em que não escrevi nada", disse-nos. Quando a editora insistiu com Corby para finalizar o livro, a agora autora assim o fez. "Escrevi o resto do livro em quatro meses."

"Finalmente, dediquei-me", recorda. Mas precisou de uma espécie de "retiro do escritor" para o fazer, e não foi pêra-doce. "Sempre que voltava ao livro, tinha de começar a ler do início, porque já não me lembrava do nome das personagens. Tinha de me envolver outra vez na história", refere, admitindo que todas as paragens afetaram muito o processo.

Com a ajuda da editora, que deu dicas preciosas e guiou a jornada, "Eu Já Devia Saber" tornava-se cada vez mais real. O plano era ter sido publicado em 2021, mas tal não aconteceu. Agora, importava estar pronto a tempo da edição de 2022 da Feira do Livro, em Lisboa. Objetivo cumprido.

Bárbara Corby

O primeiro livro de Bárbara Corby está em pré-venda a partir desta quarta-feira, 13 de abril. Tem um valor de 14,90€, mas encontra-se com 10% de desconto, pelo que pode adquiri-lo online por 13,41€. Trata-se de uma versão limitada e autografada pela autora, que chegará aos leitores "daqui a três semanas". "Eu Já Devia Saber", editado pela Manuscrito, fica disponível nas livrarias a 4 de maio.

"Qualquer pessoa que já passou pela idade da faculdade vai conseguir identificar-se"

A manhã foi de muito nervosismo e felicidade à mistura para Bárbara Corby. Os fiéis seguidores conseguiram, em poucas horas, e devido à afluência, causar problemas no site — que já se encontra funcional. "Acho que a editora não estava à espera de que vendesse tanto", confessa a influeciadora.

Este é um romance jovem-adulto, o "estilo favorito de ler" da autora. Por esse motivo, "tem um bocadinho de todas as histórias" que leu ao longo dos últimos anos. Conta a história de Manuela, a personagem principal. Manu é uma estudante universitária, que vive em Portugal, e que "vai viver um grande amor com a pessoa que ela menos esperava", como explicou a influenciadora no Instagram pessoal.

Bárbara completa 30 anos em 2022, pelo que já está um pouco longe dos tempos da faculdade. "Mas continuo a apaixonar-me por essa fase de descoberta, quando já começamos a ter alguma independência e a a pensar o que é que vai ser a nossa vida adulta", justifica.

"Qualquer pessoa que já passou pela idade da faculdade vai conseguir identificar-se", acredita, já que a história "é bastante real e muito crua". Para Bárbara, a personagem principal "podia ser a nossa melhor amiga ou a nossa vizinha do lado". "Não é de todo a personagem boazinha", e, por vezes, roça até o "politicamente incorreto".

A autora assegura que esta história "é leve e fácil de ler". Além disso, "tem algumas partes mais hot", sendo que o livro "é um bocado picante". Mesmo contendo "vários clichés" típicos deste género de romances, " as pessoas vão gostar, porque vão conseguir ver que é real".

"Já tenho a história toda para o segundo livro"

A narrativa de "Eu Já Devia Saber" é contada em 208 páginas. O final, esse, é "possível" e "realista" — mas não vamos dar spoiler. Com o primeiro livro de Corby a chegar às livrarias, a empresária já pensa no próximo. "Já tenho a história toda para o segundo livro. Vicei-me tanto nas personagens que não conseguia parar de pensar no que é que elas iam fazer a seguir", revela.

Este passo futuro "vai depender muito do feedback das pessoas, se querem a continuação ou não". "Eu estaria disponível para isso", revelou-nos, sendo que este hobbie não é de agora. "Sempre adorei escrever. Desde miúda sempre escrevi poemas, pequenas histórias. Adorava escrita criativa", contou.

Formada em Jornalismo, "o que mais gostava de fazer eram reportagens". O jeito para a escrita criativa não passava despercebido. Hoje, quando agarra no seu livro de capa mole, continua incrédula. "Quando vejo o livro, nem acredito que é meu. Se me dissessem 'um dia, vais ter um livro', eu diria que era mentira".

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.