As matas e florestas, parques e jardins são os pulmões do nosso planeta e em Portugal temos um enorme património botânico que vale a pena visitar. Apesar dos muitos hectares de natureza do nosso País poderem ser frequentados em qualquer altura do ano, para muitos o Outono é a estação mais bonita, quando se veem as folhas a mudar de cor e quando as que já estão no chão quebram debaixo dos nossos pés. Confira abaixo os 10 parques e jardins que a MAGG selecionou e que são de visita obrigatória na nova estação.

1. Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

Construído na década de 60, o Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian situa-se no centro de Lisboa e é um dos jardins mais emblemáticos da cidade e uma referência para a arquitetura paisagista portuguesa. Com mais de 230 espécies de flora identificadas no jardim, este espaço verde estende-se num total de 9 hectares e oferece uma área densamente arborizada e, ao longo dos anos, tornou-se numa floresta heterogénea. Para além disso o jardim conta ainda no seu interior com pequenos recantos, riachos, terraços ajardinados, um anfiteatro ao ar livre e um lago que contribuem para que o o resultado seja “um diálogo muito forte entre Homem e Natureza e um lugar de pausa onde todos nos sentimos “em casa”, diz a Fundação.

Morada: Av. de Berna 45, 1050-078, Lisboa / Horário: De segunda a sexta-feira das 08h00 às 19h30 / Preço: Entrada gratuita

Jardins da Fundação  Calouste Gulbenkian
Jardins da Fundação Calouste Gulbenkian créditos: Horto Campo Grande

 2. Parque da Cidade do Porto, Porto

Parque da Cidade do Porto, da autoria do arquitecto paisagista Sidónio Pardal, ocupa um total de 83 hectares e tem cerca de 10 kilómetros de trilhos. O parque, localizado no coração da cidade é o maior parque urbano do Porto e o segundo maior do país. Inaugurado em 1993 e finalizado em 2002, o Parque da Cidade tem uma flora e fauna variadas e a paisagem foi concebida de acordo com uma expressão naturalista, contendo nela variados elementos naturais, como é o caso dos lagos. O objectivo é  que os visitantes consigam desfrutar, relaxar e aproveitar este espaço de maneira a usufruírem da natureza de uma forma simples e imediata naquele que foi considerado como "uma das 100 obras mais notáveis construídas em Portugal no século XX".

Morada: Estrada Interior da Circunvalação, 4100-083, Porto / Horário: De segunda-feira a domingo das 07h00 às 22h00 / Preço: Entrada gratuita

Parque da Cidade do Porto
Parque da Cidade do Porto créditos: @ruiaugusto

3. Bacalhôa Buddha Eden, Bombarral

O Bacalhôa Buddha Eden é o maior jardim oriental da Europa e também conhecido como o “jardim da paz”, por representar um lugar de tranquilidade para toda a família. Com cerca de 30 hectares de variada fauna e flora, o Bacalhôa Buddha Eden, no Bombarral, faz parte da Quinta dos Loridos e foi criado como protesto à destruição dos Budas Gigantes de Bamyan por parte dos Talibans, no Afeganistão em 2001. A ideia desta construção surgiu do empresário português José Berardo, e o objectivo é dar a conhecer aos visitantes as diferentes religiões do mundo, colocando-as lado a lado numa convivência pacífica entre si, ao mesmo tempo que permite contemplar a natureza e respirar o ar puro do campo. Através da instalação de mais de 200 estátuas e esculturas no jardim, este espaço tornou-se numa exposição ao ar livre e reúne diversas imagens de budas, bem como obras de arte moderna e contemporânea. 

Morada: Quinta dos Loridos, 2540-420, Bombarral / Horário: De segunda-feira a domingo das 09h00 às 19h00
Preço: 5€ por adulto / entrada livre para crianças até aos 12 anos
O jardim Bacalhôa Buddha Eden
O jardim Bacalhôa Buddha Eden no Bombarral créditos: @bacalhoa_buddha_eden

4. Parque da Paz, Almada

O Parque da Paz, no Feijó, em Almada, é uma obra da autoria do arquiteto paisagista Sidónio Pardal e um espaço que inspira tranquilidade ao mesmo tempo que permite o usufruto da natureza envolvente para os habitantes do município. Considerado o "grande pulmão da cidade", este parque urbano com cerca de 60 hectares e 7 quilómetros de caminhos, é um ponto de referência na relação entre a natureza e a população. O projeto inclui um lago que serve de abrigo a inúmeras espécies - justificando a sua importância ambiental - zonas relvadas, matas, zonas de descanso, e diversos caminhos, e existe também um "Monumento à Paz", que dá o nome ao parque.

Morada: Av. Arsenal do Alfeite nº 10, Quinta do Ministro, Feijó, 2810-262, Almada / Horário: De segunda-feira a domingo, aberto 24 horas / Preço: Entrada gratuita
Parque da Paz em Almada
Parque da Paz em Almada créditos: @lena_antunes

5. Jardim das Portas do Sol, Santarém

Este amplo jardim, detentor de diversas espécies de árvores e arbustos, está inserido dentro das antigas muralhas do Castelo de Santarém e é um dos mais importantes miradouros da região do Ribatejo, oferecendo uma vista panorâmica privilegiada sobre o rio Tejo e a lezíria ribatejana. Considerada a "sala de visitas da cidade" e um símbolo de Santarém, o Jardim das Portas do Sol sofreu obras de requalificação para valorização do espaço e desde então pode ainda visitar, para além do jardim, as Ruínas Romanas, o Núcleo Museológico e Centro de Interpretação Urbi Scallabis com explicações sobre cada um dos períodos cronológicos da cidade.

Morada: Largo do Alcáçova 1, Santarém / Horário: De segunda-feira a domingo das 09h00 às 20h00 / Preço: Entrada gratuita
Jardim das Portas do Sol em Santarém
Jardim das Portas do Sol em Santarém créditos: @irina.v.c.n

6. Jardim da Estrela, Lisboa

Jardim da Estrela foi criado em meados do século XIX, em frente à Basílica da Estrela, em Lisboa, e apesar de ter sido renomeado mais tarde para Jardim Guerra Junqueiro, é como Jardim da Estrela que continua a ser conhecido pelos seus visitantes. Possui 4,6 hectares e nele existem dois parques infantis, um jardim de infância da Santa Casa da Misericórdia, um centro de dia, um quiosque da Biblioteca Municipal de Lisboa e um miradouro. No entanto, um dos pontos centrais do jardim é o coreto verde de ferro forjado, onde os músicos tocam nos meses de Verão.  Junto ao vários lagos do jardim pode ainda ser encontrada uma variedade de fauna como patos-reais, cisnes, gansos, pavões e periquitos.

Morada: Praça da Estrela n°12, 1200-694, Lisboa / Horário: De segunda-feira a domingo das 07h00 às 00h00 / Preço: Entrada gratuita
Jardim da Estrela em Lisboa
Jardim da Estrela em Lisboa créditos: @rgcbatista

7. Tapada das Necessidades, Lisboa

Tapada das Necessidades é um espaço verde com 10 hectares que data de 1604 e se situa nas traseiras do Palácio das Necessidades, na freguesia dos Prazeres, em Lisboa. Desenhado ao estilo inglês, o parque é quase todo ele coberto por uma mata e nele podem-se encontrar três lagos rodeados por uma vegetação exótica, uma cascata, uma fonte e uma variedade de estátuas incluindo a série "Virtudes". Antiga residência de monarcas portugueses, hoje em dia o jardim está aberto a todos e é um dos lugares favoritos das gentes de Lisboa. Este jardim romântico, com a sua enorme biodiversidade em termos faunísticos, terá inclusivamente inspirado o artista Manet a pintar o seu famoso quadro "Almoço na Relva". 

Morada: Calçada Necessidades, Lisboa / Horário: De segunda a sexta-feira das 09h00 às 18h00 / Preço: Entrada gratuita
Jardim da Tapada das Necessidades em Lisboa
Jardim da Tapada das Necessidades em Lisboa créditos: Vasco Casula

8. Parque Marechal Carmona, Cascais

Situado no centro histórico da vila de Cascais, o parque Marechal Carmona foi construído na década de 40 e é o resultado da junção dos jardins do Palácio dos Condes de Castro Guimarães com a propriedade do Visconde da Gandarinha. Apesar de, após a revolução de 1974, ter passado a designar-se Parque do Gandarinha, hoje em dia continua a ser conhecido como Marechal Carmona. O parque tem um toque romântico e é um dos mais extensos e belos jardins de Cascais. É composto por amplos relvados e várias zonas ajardinadas, uma mata com árvores de grande porte, lagos, um parque de merendas, uma estufa, um campo de jogos tradicionais, uma biblioteca infantil e juvenil, um mini-zoo e um parque infantil. Todos os sábados o parque recebe ainda o Mercado Biológico de Cascais, onde pode encontrar produtos frescos de agricultura biológica.

Morada: Praceta Domingos D’Avilez, Av. da República, Cascais / Horário: De segunda-feira a domingo das 8h30 às 20h00 / Preço: Entrada gratuita

Parque Marechal Carmona em Cascais
Parque Marechal Carmona em Cascais créditos: @sandra_sestrada

9. Parque Terra Nostra, São Miguel

Parque Terra Nostra é um jardim botânico cuja construção data do séc. XVIII/XIX e que fica localizado no Vale das Furnas, na ilha de São Miguel nos Açores. É um dos sítios mais populares da ilha, visitado por locais e estrangeiros que são atraídos pela piscina geotermal e pela variedade e riqueza da vegetação envolvente. No Parque Terra Nostra, poderá encontrar a flora endémica dos Açores mas também variadas plantas nativas de outros países. O parque está dividido em duas zonas: a parte alta, ocupada pelas alamedas e bosques mais densos, e a parte baixa entre os cursos da Ribeira Amarela e a Serpentina de água, onde se podem encontrar passeios e fontes. Também são de destacar os jardins temáticos das Cycas, das Endémicas, das Flores, das Camélias e dos Fetos, assim como a Avenida das Palmeiras e a Avenida das Ginkgos.

Morada: Largo Marquês da Praia e Monfort, 9675-061, Furnas, São Miguel, Açores / Horário: De segunda-feira a domingo das 10h00 às 16h30 / Preço: 4€ por criança e 8€ por adulto.
O jardim Terra Nostra nos Açores
O jardim Terra Nostra nos Açores créditos: @carloscarvalhofotografia

10. Parque de Santa Catarina, Madeira

Com uma vista privilegiada sobre a baía e a cidade do Funchal, o Parque de Santa Catarina foi construído em 1966 e tem uma área total de 36 000 m². Rodeado por variadas espécies arbóreas provenientes de todos os cantos do Mundo, é um dos parques mais importantes da cidade, sendo utilizado também como local de manifestações, celebrações populares ou para a realização de eventos, exposições e festivais. Na parte mais baixa do parque destaca-se a Capela de Santa Catarina e também a lagoa com uma pequena ilha para repouso e nidificação dos cisnes e patos que aí vivem. Este jardim oferece ainda um parque para crianças e uma ludoteca, bem como esculturas e monumentos erguidos e dedicados a figuras proeminentes da história portuguesa como é o caso do Infante Dom Henrique, Cristóvão Colombo, Gago Coutinho e Sacadura Cabral, entre outros.

Morada: Av. Sá Carneiro 3, 9000-015, Funchal, Madeira / Horário: De segunda-feira a domingo das 07h00 às 20h00 / Preço: Entrada gratuita
Parque de Santa Catarina no Funchal
Parque de Santa Catarina no Funchal créditos: @gorete.menezes.andrade

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.