A 8 de janeiro fomos todos surpreendidos pela notícia a que se deu o nome de Megxit: os duques de Sussex, Harry e Meghan Markle, quebraram o protocolo, ao anunciar que iriam abdicar dos seus títulos reais de membros sénior da família real britânica. A independência financeira e a vontade de trabalhar estariam entre os principais motivos.

O casal faz planos para viver entre o Canadá e o Reino Unido com o filho Archie, ficando assim com disponibilidade para investir nos seus projetos — entre os quais, o lançamento de uma organização sem fins lucrativos (e não uma fundação, como havia sido inicialmente pensado). Entre os planos, estava também o registo da marca "Royal Sussex" e a utilização dos termos "real" na comunicação dos seus projetos.

Não vai acontecer. Passados quase dois meses, o caso continua a dar que falar e as relações entre os Duques de Sussex e o Palácio de Buckingham dão maus sinais. Em causa está a regra que lhes foi imposta e que proíbe que estes utilizem o termo "real" — incluido tanto na conta de Instagram "SussexRoyal", como o site que foi criado na sequência do Megxit. 

Duques de Sussex têm permissão da rainha para viver no Canadá
Duques de Sussex têm permissão da rainha para viver no Canadá
Ver artigo

Publicações no site oficial do casal dão a entender que Harry e Meghan não gostaram da forma como foram tratados. Um comunicado na sexta-feira, 21 de fevereiro, salientou a inexistência de "nenhuma jurisdição da monarquia ou do gabinete real sobre o uso da palavra 'real' no exterior."

“Tendo em conta as regras específicas do governo do Reino Unido em torno do uso da palavra 'real', foi acordado que a sua organização sem fins lucrativos não terá o nome de Sussex Royal Foundation", disse uma porta voz dos Duques de Sussex. "O duque e a duquesa não pretendem usar o 'SussexRoyal' em nenhum território depois da primavera de 2020."

A vida de Harry e Meghan como membros séniores da realeza termina a 31 de março, altura em que o casal deixará de representar a rainha de Inglaterra, iniciando a sua vida financeiramente independente.

“Embora não exista qualquer jurisdição da monarquia ou do Gabinete do Governo Britânico sobre o uso da palavra 'royal' no exterior, o duque e a duquesa de Sussex não pretendem usar 'Sussex Royal' ou qualquer forma da palavra 'royal, seja ou não no Reino Unido, quando a transição ocorrer na primavera de 2020", diz o comunicado.

Quando Harry e Meghan anunciaram a saída da Inglaterra, a intenção passava por chegar a um estatuto híbrido que ainda pertencesse à família real — cumprindo, assim com alguns deveres reais.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.