No final de março, Inglaterra vai levantar algumas medidas do confinamento, mas tal não quer dizer que o país esteja próximo de regressar à normalidade. Mary Ramsay, responsável pelo programa de vacinação do Reino Unido, alerta que o uso de máscara e o distanciamento social vão continuar a fazer parte da realidade dos britânicos e do mundo durante muito tempo.

A epidemiologista, que integra a Agência de Saúde Pública Britânica, reforçou a importância de não haver um rápido relaxamento das medidas e disse ainda que o regresso a qualquer evento com várias aglomerações de pessoas vai requerer medidas claras e um planeamento rigoroso.

Portugueses com menos de 40 anos são os que mais recusam ser vacinados contra a COVID-19
Portugueses com menos de 40 anos são os que mais recusam ser vacinados contra a COVID-19
Ver artigo

"As pessoas já se acostumaram a este tipo de restrições e podem continuar a viver com elas", começou por dizer em entrevista à BBC este domingo, 21 de março. "Penso que essas medidas se prolonguem durante alguns anos, pelo menos até as outras partes do mundo estarem tão bem vacinadas quanto nós [Reino Unido], e com os números mais baixos também. Só assim poderemos voltar gradualmente a uma situação mais normal", referiu Mary Ramsay.

Apesar do ritmo de vacinação ser bastante positivo no Reino Unido, a epidemiologista alerta que todos os cuidados continuam a ser necessários. "Temos de ter muito cuidado antes que qualquer uma destas restrições seja levantada", disse, ainda referindo que qualquer vírus em circulação ataca, inevitavelmente, os mais vulneráveis.

A partir de dia 29 de março, os ingleses podem passar a juntar-se até ao número de seis pessoas ao ar livre. Nesta data, as instalações desportivas e de lazer ao ar livre podem também reabrir e a proibição da prática de desporto ao ar livre é levantada.

Atualmente, no Reino Unido foram já vacinados mais de 27 milhões de pessoas, sendo que 2,2 milhões já levaram as duas doses. Ainda assim, o plano de desconfinamento não prevê que antes de 21 de junho sejam removidas todas as restrições.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.