Ana Leal, ex-jornalista da TVI, já faz parte da equipa da CMTV ( a notícia foi anunciada este sábado, 8 de maio, pelo "Correio da Manhã"). A jornalista mostra-se motivada para "abraçar a 100 por cento" o novo projeto, depois de uma paragem de quase um ano após a saída da estação de Queluz de Baixo. A caminho do primeiro dia de trabalho na CMTV, a jornalista de 52 anos revelou à MAGG o que vai fazer no canal de informação.

"Não vou ter um programa. O registo será o mesmo, ou seja, investigação. Só que sozinha, no meu registo anterior a fazer investigações", refere. As reportagens serão transmitidas no programa "Investigação CM", que passa todos os dias em horário nobre.

Sobre o estilo de jornalismo realizado pela CMTV, por vezes alvo de críticas, Ana Leal diz que não tem "esse estigma". E elogia a marca do grupo Cofina. "Atualmente e sempre considerei o 'Correio da Manhã' como dos poucos — e hoje em dia quase talvez o único — órgãos de comunicação social verdadeiramente livres. E a verdade é que me contrataram. Comigo ninguém vai ao engano", refere.

A "independência e liberdade", características que atribui à CMTV, fazem com que a ex-jornalista da TVI sinta que está no sítio certo. "Eu sinto-me num registo e no ADN do 'Correio da Manhã'", continua.

Este novo projeto, conta, vai permitir-lhe rever amigos e fazer equipa com ex-alunos da Escola Superior de Comunicação Social, onde é professora convidada há vários anos. "Vou rever velhos amigos, o que também me agrada. E depois também é engraçado isto: basicamente a redação é constituída por velhos amigos da minha geração, desde José Carlos Castro, Octávio Ribeiro, a Francisco Penim — é mesmo ver caras que começaram comigo no mundo da televisão — e, ao mesmo tempo, depois o resto da redação são meus ex-alunos", conta.

"Serei sempre muito grata ao que a TVI me proporcionou"

Quanto à polémica saída da TVI, a ex-jornalista da estação de Queluz de Baixo refere que a situação ficou no passado. "É daquelas coisas que nem me apetece falar. Estou numa fase maravilhosa da minha vida", refere Ana Leal, cuja oportunidade de integrar a equipa da CMTV surge na mesma altura em que acaba de inaugurar um alojamento local em Óbidos, a Casa da Buganvília.

Ágata Rodrigues. "O jornalismo que a CMTV faz está associado à realidade e à verdade"
Ágata Rodrigues. "O jornalismo que a CMTV faz está associado à realidade e à verdade"
Ver artigo

Apesar da saída atribulada da TVI, que foi para a jornalista "um dia de muita tristeza" seguido de "longos meses de travessia no deserto", reconhece que foi "muito feliz" na estação e que as coisas más foram arrumadas, restando apenas as memórias.

"Da TVI tenho muito boas recordações. Foram 20 anos de TVI", diz. "Por lá, tive se calhar dos momentos profissionais mais felizes da minha vida e, portanto, sou uma pessoa muito grata a esse nível. E serei sempre muito grata ao que a TVI me proporcionou. Não existe mágoa, existe gratidão", remata.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.