Rosa Grilo, a mulher condenada a 25 anos de prisão pela morte do marido, Luís Grilo, terá confessado ser a homicida do triatleta. Apesar de, em tribunal, Rosa Grilo ter mantido a sua inocência, negando qualquer responsabilidade na morte do marido, a mulher terá confessado o crime ao telefone numa chamada com João de Sousa, ex-inspetor da Polícia Judiciária, envolvido no caso como consultor forense da defesa.

Quem é Rosa Grilo, a mulher que enfrenta o julgamento pela morte do marido
Quem é Rosa Grilo, a mulher que enfrenta o julgamento pela morte do marido
Ver artigo

A alegada confissão, divulgada na internet esta sexta-feira, 30 de abril, terá acontecido numa chamada entre Rosa Grilo e João Sousa, quando esta já se encontrava na prisão de Tires.

"Fui eu que matei o Luís", terá dito a viúva do triatleta ao consultor forense, deitando assim por terra a tese, defendida por Rosa, que imputava o homicídio a um grupo de homens angolanos, escreve o "Correio da Manhã".

Atualmente, Rosa Grilo é defendida por um advogado oficioso, depois de Tânia Reis deixar o caso quando o Supremo Tribunal de Justiça condenou a viúva de Luís Grilo à pena máxima. A 25 de março, o mesmo tribunal recusou o pedido de repetição do julgamento.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.