Para facilitar o processo de testagem, as farmácias e parafarmácias portuguesas passam a vender testes rápidos à COVID-19. Estes testes, que podem ser feitos em casa, começam a ser vendidos nas farmácias de Portugal continental esta sexta-feira, 2 de abril, noticia o "Diário de Notícia". 

"Um primeiro lote de 500 farmácias já poderá dispensar autotestes esta sexta-feira, em todos os distritos do continente. Este fim de semana vão também chegar às Regiões Autónomas", refere a Alliance Healthcare num comunicado enviado à imprensa, citado pelo jornal "Público".  Numa primeira fase, estão garantidos às farmácias 120 mil testes, número que aumentará consoante a procura.

O Pingo Doce e as lojas Well's já vendem testes rápidos à COVID-19
O Pingo Doce e as lojas Well's já vendem testes rápidos à COVID-19
Ver artigo

A compra dos testes rápidos não está sujeita a receita médica e pode ser efetuada por qualquer pessoa a partir dos 18 anos. "Montámos uma grande operação logística esta madrugada [de quinta para sexta-feira] para fazer chegar os autotestes a todo o território", afirmou Tiago Galvão, presidente da Comissão Executiva da empresa de distribuição de medicamentos e produtos farmacêuticos, citado pelo mesmo jornal. As farmácias portuguesas têm mais de 10 mil profissionais que ficarão encarregues de dispensar os testes e aconselhar as pessoas quanto à sua utilização.

Também esta quinta-feira, 1 de abril, os portuguesas passaram a poder comprar os autotestes nas parafarmácias Well's e no Pingo Doce. "O custo por teste é de 6,79€ sendo comercializadas, nesta fase inicial, em caixas de 25 testes", lê-se no comunicado oficial do Pingo Doce, que estabelece o preço final de 169,75€. Nas lojas Well's, os testes rápidos podem ser comercializados à unidade, cujo preço é de 6,99€.

Em comunicado, a Well's esclarece que este tipo de teste "utiliza amostras da zona nasal interna, em vez da nasofaringe, o que torna este procedimento mais simples e menos invasivo".

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.