Depois de dois adiamentos, João Rendeiro regressa esta quarta-feira, 15 de dezembro, ao tribunal de Verulam, África do Sul. O ex-banqueiro, detido pelas autoridades locais no passado sábado, 10 de dezembro, deverá ser presente a um juiz de primeira instância para conhecer as medidas de coação.

A manhã começou de forma atribulada em Verulam. João Rendeiro foi transportado da prisão de Westville para o tribunal de Verulam, onde uma falha de eletricidade impediu a realização da audiência. Depois, foi levado para uma esquadra, onde a falta de condições cancelou os planos de prosseguir a audiência naquele local. Finalmente, foi escolhido o Tribunal de Família de Verulam para que o ex-presidente do BPP seja, em princípio, presente perante um juiz de primeira instância, caso não aconteça novo adiamento.

Esta quinta-feira, 16 de dezembro, é feriado na África do Sul pelo que, havendo novo adiamento, o ex-banqueiro só voltará a tribunal na sexta-feira. Em declarações aos jornalistas, esta manhã, à saída da esquadra, João Rendeiro disse que não está a desafiar as autoridades portuguesas.

Rendeiro assegura que não vai regressar a Portugal. Sessão em tribunal adiada para quarta-feira
Rendeiro assegura que não vai regressar a Portugal. Sessão em tribunal adiada para quarta-feira
Ver artigo

À CNN Portugal, o advogado Pedro Marinho Falcão diz ter dúvidas que a decisão sobre as medidas de coação aconteça esta semana. "Ficamos mais alerta, pela negativa, que provavelmente este tipo de vicissitudes vai acontecer durante o processo de extradição".  A acrescentar a estas dificuldades está ainda, como avança o "Público", a falta de tradutores do Ministério Público português para verter para inglês toda a documentação necessária para apresentar o pedido de extradição do ex-banqueiro dentro do prazo legal.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.