O pai de Valentina, a criança de 9 anos assassinada em maio em Atouguia da Baleia, Peniche, faz novas revelações sobre o caso, acusando agora Márcia de matar Valentina, avança o jornal "Correio da Manhã". Sandro Bernardo descreve numa carta ao irmão como tudo aconteceu, contrariando o que foi relatado no primeiro interrogatório judicial, que levou o pai e a madrasta de Valentina a responder pelos crimes de homicídio qualificado, profanação de cadáver e abuso e simulação de sinais de perigo a 10 de novembro.

"Acordámos [o pai e as crianças] com a Valentina aos gritos. A Márcia estava a encher a banheira de água quente e a Valentina já estava a esticar-se toda e a abrir os olhos todos”, conta Sandro, que garante ter tirado a filha da banheira e levado para a cozinha, numa tentativa de a salvar.

Lesões na cabeça e indícios de asfixia. Autópsia de Valentina revela que a criança teve uma "morte violenta"
Lesões na cabeça e indícios de asfixia. Autópsia de Valentina revela que a criança teve uma "morte violenta"
Ver artigo

"Disse à Márcia para chamar a ambulância, foi aí que falhei, a Márcia começou a fazer-me a cabeça, pôs o diabo dentro de mim. E começou a dizer que ia ser preso e que as meninas iam ficar sem ninguém", continua.

“Ela disse-me que ia chamar alguém para queimarem a menina. Mas eu disse que não, estava na esperança de que ela acordasse. Mas nada”, termina.

As novas alegações alteram os factos até agora conhecidos sobre o caso, contudo, só poderão ser validados se o depoimento de Sandro e Márcia forem de novo avaliado pelos juízes. Ainda assim, a primeira reconstituição feita pelo suspeito é mais credível do que aquela que é agora apresentada.

Isto significa que as novas alegações podem ficar sem efeito e o casal arrisca mesmo cumprir os 25 anos de prisão pela morte da criança a 6 de maio, após cerca de 10 horas de tortura.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.