Num ano marcado pela pandemia, Lisboa registou a maior descida de preços nos quartos para arrendar, apesar de continuar a ser a zona mais cara do País, noticiou esta quarta-feira, 21 de abril, o jornal "Expresso".

As conclusões foram avançadas com base num levantamento feito pelo portal Idealista, divulgado esta quarta-feira. No mês de março, um quarto na capital custava em média menos 13% comparativamente ao mesmo mês do ano passado.

Durante a pandemia, mais de 60% dos estudantes foram vítimas de cyberbullying
Durante a pandemia, mais de 60% dos estudantes foram vítimas de cyberbullying
Ver artigo

No Porto, registou-se também uma descida — apesar de mais baixa (-7%) — e nas cidades de Braga, Coimbra, Faro e Leiria não houve qualquer variação nos preços dos quartos, escreve o mesmo jornal. Das cidades analisadas pelo portal Idealista, Setúbal foi a única a registar uma subida de preços durante este período (6%).

Em Lisboa, cidade bastante procurada por estudantes, apesar do preço ter descido, os quartos continuam a ser os mais elevados do País. Em média, os quartos na capital têm rendas mensais de 350€. Na lista das rendas mais elevadas segue-se a cidade de Faro, onde um quarto custa cerca de 300€ por mês, depois o Porto (280€/mês), Setúbal (275€/mês) e Braga (250€/mês). Coimbra e Leiria conseguem ser as cidades mais baratas. Aqui, os quartos custam, em média, 200€ mensais.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.