A Herbes Folles é a prova de que tudo merece uma segunda oportunidade... até as ervas daninhas. Mariana Santos entrou no mercado com uma missão: "mudar o olhar e a perceção sobre as ervas espontâneas através da criação de uma marca de cosméticos natural e eficaz."

A paixão pela natureza, por produtos de beleza e o amor pelas plantas levou-a a estudar medicina herbal e formulação de cosméticos. A jovem cresceu numa aldeia no centro de Portugal, onde campo, hortas e ervas daninhas não faltavam.  Mariana Santos começou a perceber que essas ervas "indesejadas", que cresciam nas margens da horta, tinham várias propriedades medicinais e decidiu que estava na altura de lhes dar uma nova vida. "É importante desmistificar e dar novas utilizações e achei que era interessante unir as ervas daninhas com a cosmética", confessa a jovem empresária à MAGG.

Além do importante papel que desempenham nos ecossistemas, as ervas daninhas são uma poderosa fonte de nutrientes e antioxidantes dos quais, sem sabermos, podemos beneficiar.

Para além de ser uma marca inovadora, a Herbes Folles quis, desde o início, ser sustentável.  É certificada pela NATRUE -  a organização que estabelece critérios para a definição da naturalidade e sustentabilidade dos cosméticos - e um dos membros do "1% para o Planeta":  o movimento global que inspira pessoas e empresas a apoiar soluções ambientais.

Neste momento a marca tem 3 produtos disponíveis : todos vegan e sem óleo de palma.

O óleo de limpeza equilibrante (33,5€) feito à base de extratos de beldroegas e hipericão - um dos melhores remédios para os problemas cutâneos que ajuda na renovação dos tecidos e acelera a cicatrização - é rico em antioxidantes e ideal para limpar a pele e remover a maquilhagem.

O bálsamo protetor é um multi-usos feito à base de manteiga de murumuru, beldroegas e urtigas, está à venda por 16€ e é indicada para usar nas zonas mais delicadas ou secas do corpo. O terceiro produto é uma loção bifásica iluminadora e nutritiva  feita à base de extrato de papoila que pode adquirir pelo valor de 37,5€ e é ideal para todos os tipos de pele.

Mariana Santos revela que o próximo passo é criar um protetor solar.

Herbes Folles
créditos: Herbes Folles

"Apostar em fornecedores sustentáveis foi sempre uma das prioridades."

As embalagens da marca são produzidas na Europa e utilizam essencialmente vidro e cartão, uma vez que são materiais muito mais sustentáveis do que o plástico.  As etiquetas são produzidas sem o abate de árvores e criadas a partir do bagaço. O ciclo de produção desta planta é dez vezes inferior ao das árvores destinadas à produção de papel, o que faz dela um recurso bastante sustentável.

A Herbes Folles garante que nunca fragrâncias sintéticas, conservantes artificiais, óleos minerais ou petroquímicos farão parte da lista de produtos da marca.

Apesar de ser um marca portuguesa, os produtos são fabricados na Bélgica, visto que a vida da criadora é dividida entre os dois países."Na altura, tomei a decisão de começar a produzir na Bélgica visto que a minha ideia era viver cá. Depois tudo mudou e adaptei-me", revela à MAGG.

A Herbes Folles está no mercado há cerca de 2 meses e as encomendas já são bastantes.  90% dos clientes são portugueses.

Percorra a galeria e veja os produtos da marca.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.