Miguel Vieria foi o convidado do "Conta-me" deste sábado, 6 de março. O designer nortenho de 55 anos foi entrevistado para o programa da TVI por Maria Cerqueira Gomes, com quem mantém uma amizade de longa data, e revelou estar inscrito num processo de adoção, depois de ser questionado pela apresentadora sobre se lamentava não ter filhos.

"Tenho pena de não ter filhos. Mas pensei muito no assunto e não tenho problemas em dizer que estou num processo de adoção há muitos anos e continuo à espera", disse Miguel Vieira. "Tenho uma calma ansiosa porque a todo o momento sei que posso receber uma chamada para ir buscar alguém."

Ana Garcia Martins fala sobre separação no "Conta-me". "Têm de respeitar o nosso tempo"
Ana Garcia Martins fala sobre separação no "Conta-me". "Têm de respeitar o nosso tempo"
Ver artigo

O designer de moda disse ainda que já passou por todas as fases do complicado processo, que envolve muita burocracia e uma "quantidade de papéis absurda". No entanto, Miguel Vieira adiantou que esta fase da sua vida foi e é bastante importante. "Independentemente de eu conseguir ter um filho ou não, passar todas as fases deste processo é uma prova de que eu reúno todas as características de um bom pai e de um bom ser humano", disse a Maria Cerqueira Gomes.

Natural de São João da Madeira e vindo de uma família muito tradicional, Miguel Vieira revelou também que é uma pessoa que preza bastante a sua privacidade, e que a entrevista dada à TVI foi a primeira vez que abriu a sua casa, localizada em Espinho, a um canal de televisão. "É um bocado chato ser uma pessoa conhecida", disse o designer, que revelou que prefere relacionar-se com pessoas fora do mundo da moda.

"Tento resguardar-me, sou feliz desta maneira. Acho que todos nós temos direito à nossa privacidade", afirmou, revelando ainda que os pais nunca assistiram a um desfile seu. "Eles nunca se quiseram expor, nem eu quero expor a minha mãe, que sei que ia ser rodeada por fotógrafos e imprensa."

O estilista, que em 2019 apresentou a sua primeira coleção na semana da moda de Milão após 30 anos de carreira, recordou ainda um momento marcante aquando da morte do pai. "No dia do funeral do meu pai, chovia torrencialmente e vi imensos fotógrafos dentro dos carros a tentar tirar fotos. Acho que o meu pai não teria gostado disso."

A luta contra o cancro

Miguel Vieira já teve dois tumores. O seu primeiro contacto com a doença aconteceu aos 16 anos, quando sentiu uma dor forte na perna durante um dia de praia. "Fui para o hospital e nunca mais saí de lá", contou o designer. Diagnosticado com um tumor benigno no fémur, foi operado imediatamente e passou nove meses de cama a recuperar, sem se poder mexer.

"Tive de aprender a caminhar depois disso, quando saí da cama passei dez meses de canadianas", revelou Miguel Vieira que, décadas mais tarde, voltaria a ter contacto com esta doença. Em 2003, depois de sentir uma dor forte no estômago, soube que tinha um novo tumor.

"O médico percebeu que havia um problema muito grande. Tinha um período de vida que não eram meses, mas sim semanas", disse no programa de entrevistas da TVI. Depois de ser operado prontamente após o diagnóstico, o estilista passou por ciclos violentíssimos de quimioterapia, mas acabou por vencer a doença.

"Achei sempre que ia conseguir [vencer o cancro], mas não te vou dizer que, na escuridão da noite, não pensas na morte", confessou a Maria Cerqueira Gomes.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.