Depois de ter terminado o mestrado em Interpretação e Teatro para Cinema na prestigiada Bristol Old Vic Theatre School, em Inglaterra, o animador de rádio de 34 anos prepara-se agora para se estrear no elenco principal do mais recente projeto da BBC Radio. 

Rui Maria Pêgo. "Tenho pânico de estagnar, tenho pânico das águas paradas"
Rui Maria Pêgo. "Tenho pânico de estagnar, tenho pânico das águas paradas"
Ver artigo

“All I Was When I Wasn't Anymore” é a nova peça radiofónica que estreia a 10 de dezembro na rádio pública britânica. O projeto conta a história do que se passou com os heterónimos de Fernando Pessoa depois da sua morte, partindo de Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis, em busca de uma explicação para a sua existência. A história contará com várias viagens ao passado, para tentar resolver vários mistérios, e o Rui Maria Pêgo interpretará Ricardo Reis.

Numa publicação do Instagram, Rui Maria Pêgo confessa estar muito feliz com a oportunidade. “Finalmente posso abrir a boca e revelar o que andei a fazer pelo Porto no início de Novembro. É com muita alegria - e algum espanto! -, que anuncio que faço parte de “All I Was When I Wasn’t Anyone”, uma peça radiofónica que acontece após a morte de Fernando Pessoa”, disse. “Diverti-me muito e cumpri o sonho de um dia fazer algo com a BBC, mítica para qualquer pessoa, mas em particular para quem cresceu numa casa cheia de rádio”.

Depois de, em setembro de 2021, se ter mudado para Inglaterra para frequentar o Mestrado em Interpretação e Teatro para Cinema, o filho de Júlia Pinheiro e Rui Pêgo voltou para Portugal no final do verão do ano seguinte para abraçar novos projetos. Estreou o podcast “Debaixo da Língua” na rádio Comercial, casa onde já tinha estado com o programa “Era o Que Faltava”, fez duas séries na RTP, “Prisma” e “Error 404” com Inês Aires Pereira, e foi até França para fazer parte de um projeto sobre a obra “Um Sonho de Uma Noite de Verão”, de William Shakespeare.

No entanto, Rui Maria Pêgo não começou a sua trajetória de sucesso aí. Desde tenra idade que o locutor de rádio é conhecido em Portugal, tendo passado pela Mega Hits, no programa “Snooze”. O comunicador esteve ainda presente nos três canais generalistas, foi apresentador, ator e até autor da série “Filho da Mãe”, onde satirizou o facto de ser filho de uma celebridade, disponível na QPlay. Além disso, Rui Maria Pêgo ficou bastante conhecido por, aos 19 anos, fazer parte do programa “Curto Circuito” da SIC Radical.

Numa conversa com a MAGG, em abril deste ano, o filho de Júlia Pinheiro confessou que já fez o funeral do personagem que mostrava no programa da SIC Radical, e que percebeu que, com o tempo, foi ficando mais adulto e levando o trabalho mais a sério. “Eu fiz um percurso longo em rádios e canais para jovens. Comecei na SIC Radical aos 19 anos, saí da Mega Hits com 30. No 'Era o que Faltava' eu já era cada vez mais essa pessoa, esse comunicador mais adulto. Vejo estar no ar como uma grande responsabilidade. E isto não é levar-me a sério, é levar o que faço muito a sério”, disse. 

Agora, depois de todo um longo percurso com mais de 15 anos, Rui Maria Pêgo enfrenta mais um desafio na rádio, desta vez em águas internacionais. “All I Was When I Wasn't Anymore” foi escrito pelo poeta e dramaturgo Owen Sheers, dirigido por John Retallack e produzido por Emma Balch. No entanto, o elenco está repleto de portugueses, com a participação de João Luís Barreto Guimarães como Fernando Pessoa, Jaime Monsanto como Alberto Caeiro e Pedro Manana como Álvaro de Campos. A peça radiofónica estreia dia 10 de dezembro, às 19:30, na BBC Radio 3.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.