Os grandes festivais de verão estão de volta. Não, não nos cansamos de dizer isto, porque estes dois anos de pandemia custaram a passar sem música.

15 botas para arrasar nos próximos festivais (e há opções em saldo)
15 botas para arrasar nos próximos festivais (e há opções em saldo)
Ver artigo

Entre concertos, barraquinhas, muita música e muita malta para conhecer, o MEO Sudoeste tem uma dinâmica única. Começando pela dificuldade em decidir a quais os dias do festival ir. No caso de ter comprado o passe geral, o melhor é mesmo aproveitar o campismo gratuito.

E se é para viver o festival à grande, aproveite mesmo tudo e comece a festa já este sábado, 30 de julho. Desde esse dia que há animação pensada exclusivamente para os campistas.

O festival começa na próxima terça-feira, 2 de julho, e há mesmo muitos concertos para ver. Desde Chico da Tina, VIL, Beatriz Rosário, 9 Miller, Chá de Funk, Bispo, Steve Aoki, Morad, Domingues e muito mais.

Ainda há bilhetes disponíveis. O diário custa 50€, o passe geral 110€. Se quiser melhorar a experiência para algo exclusivo, o passe custa 195€, o diário 100€ e ainda ou passe total exclusivo por 225€.

Jovem Dionísio

“Acorda, Pedrinho/ Que hoje tem campeonato”. Sim, é mesmo Jovem Dionísio no MEO Sudoeste para cantar bem alto e dançar com o grupo de amigos. O grupo brasileiro já existe há algum tempo, mas durante a pandemia cresceu muito no país de origem e recentemente em Portugal.

A banda mistura o pop, com a eletrónica e o rap e cada música fica presa na cabeça de todos durante horas. O grupo é formato por Rafael Duna, Gabril Mendes, Gustavo Karam, e Bernardo Pasquali.

Inicialmente, a atuação seria de Giulia Be que cancelou o concerto por problemas logísticos.

Jovem Dionísio vão atuar no dia 4 de agosto, no Palco MEO.

Masego

A estrela da música norte-americana quase que dispensa apresentações e já passou várias vezes por palcos em Portugal. Se ainda não ouviu Masego deve começar já, porque temos a certeza que vai melhorar todos os seus dias. A energia em cada música é contagiante, porque o artista eleva a música a outro nível.

Masego é um nome sul-africano e traduzido significa “bênção”,  e não é que é mesmo? O artista é uma bomba de criatividade e cultura que junta o seu saxofone a todos os beats que possa imaginar, variando entre o R&B, o jazz, o hip hop e o trap.

É impossível nãodar um pezinho de dança e deixar-se levar por toda a envolvência musical que Masego cria em cada som. A música está presente na vida do artista desde os 8 anos, quando começou a tocar bateria e cresceu ao som de gospel e soul que ouvia pela casa todos os dias.

Masego vai atual na sexta-feira, 5 agosto, no Palco MEO.

Pedro Sampaio

Já leu o título e está a cantarolar o nome do artista? Acreditámos que sim, porque Pedro Sampaio conseguiu que todas as pessoas soubessem o seu nome só através de uma música. Egocêntrico? Talvez, mas resultou e fez muito sucesso em todas as redes sociais, principalmente no TikTok.

O músico junta o hip hop, a eletrónica, o pop e o funk e a cada dia conquista mais fãs. O percurso na música começou aos 17 quando era DJ e entrou no grupo de artistas de Dennis DJ.

Pedro Sampaio atua quarta-feira, 3 de agosto, no Palco MEO.

Timmy Trumpet

O MEO Sudoeste também tem uma grande aposta em atuações de DJs e nada melhor do que Timmy Trumpet neste género. O DJ já venceu diferentes prémios e distinções internacionais, começando logo aos 13 anos com uma bolsa no Conservatório de Música. Dois anos depois, começou a fazer solos de trompete em festivais de jazz por toda a Europa.

A carreira artística do Timmy Trumpet é repleta de diferentes trabalhos, desde a música “Freaks” que foi disco de platina cinco vezes, até às compilações para o PACHA, que inclui os Djs Goldfish e La Roux. Já atuou com Stevie Wonder.

Já em 2017, atuou no Tomorrowland em Boom, Bélgica, um dos maiores festivais de música electrónica do mundo. Dois anos depois, começou uma tournée mundial e há uma série no Youtube sobre todos os concertos.

Timmy Trumpet atua quarta-feira, 4 de agosto, no Palco MEO.

Rex Orange County

Soul, jazz, hip-hop e uma voz simples, mas muito bonita, são as principais características do músico inglês Rex Orange County. Os arranjos, as misturas e as melodias são escolhidas a dedo e transmitem uma tranquilidade e calma indescritível em cada música.

A sua carreira começou em 2016, com a ajuda de Tyler the Creator e Frank Ocean que encontraram sons do artista no Sound Clound. No ano seguinte participou no disco “Flower Boy” editado por Tyler the Creator. Dois anos voltou a lançar um disco, o “Pony” e este ano o “Who Cares?”, que conta com a colaboração de Tyler na música “Open a Window”.

Rex Orange County atua no sábado, 6 de agosto, no Palco MEO.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.