A ideia de que "Die Hard — Assalto ao Arranha-Céus" ou "Arma Mortífera", dois clássicos do cinema de ação dos anos 80, são filmes de Natal parece ser uma verdade absoluta que pouca gente arrisca a contestar. No primeiro exemplo, a explicação está no facto de toda a ação passar-se durante os festejos natalícios que, por mero acaso, acabam arruinados quando um grupo terrorista decide tomar de assalto um arranha-céus em Nova Iorque, nos EUA.

Ainda que Bruce Willis, o protagonista, já tenha vindo a público dizer que o filme não é natalício, os fãs dizem o contrário e a verdade é que, mesmo em Portugal, a reposição está sempre garantida em vários canais durante a quadra.

No que toca a "Arma Mortífera", a justificação é outra. Embora a ação não se passe integralmente durante a época natalícia, um dos momentos dos filmes acontece nessa altura e serve, até, para dar à história que pretende contar toda uma carga emocional mais profunda do que, regra geral, pouco vemos nos filmes do género.

Aquele que é considerado a cena mais negra da produção acontece quando o protagonista, um agente da polícia interpretado por Mel Gibson, perde a mulher e é obrigado a passar o Natal sozinho. Durante o período de luto, no entanto, a sua vida volta a sofrer uma mudança ao ver-se obrigado a trabalhar com um novo colega na polícia e que, mais tarde, viria a tornar-se num dos seus melhores amigos.

A nova série fofinha da Netflix mostra como foram feitos os filmes de Natal da nossa infância
A nova série fofinha da Netflix mostra como foram feitos os filmes de Natal da nossa infância
Ver artigo

É essa sensação de pertença, e de encontrar família nos que nos são próximos, que levam a crítica internacional a considerar "Arma Mortífera" um dos filmes natalícios menos óbvios. E são menos óbvios porque embora não abordem especificamente o Natal, evocam ideias típicas dessa altura ou fazem uso de cenários e enfeites natalícios para compor o plano de câmara.

Acontece o mesmo com "De Olhos Bem Fechados", o clássico de Stanley Kubrick que conta com Tom Cruise e Nicole Kidman nos papeis principais de um thriller denso e repleto de suspense. Nada na história tem que ver especificamente com a quadra festiva, mas são muitos os planos de câmara que mostram uma Nova Iorque em festa, decorada em tons de vermelho e branco para celebrar o Natal, mecanismo que vimos replicado, por exemplo, em "O Padrinho"

A pensar nisto, fomos à procura de produções cinematográficas que, à semelhança dos que já mencionámos, se passassem no Natal mesmo que não o celebrassem ou fizessem dele o seu tema central.

De "Die Hard" a "Mean Girls", que em Portugal foi traduzido para "Giras e Terríveis", mostramos-lhe 9 filmes que se passam no Natal (mas que não são natalícios).

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.