António Variações era muito próximo da mãe, Deolinda Jesus, que nem mesmo depois de o filho se ter tornado uma estrela nacional abandonou a aldeia de Fiscal, em Amares, Minho, para se mudar para Lisboa. E o filho nunca deixou de a visitar e homenagear. Mas a relação entre mãe e filho passa do imaginário para o real com a foto que acaba de ser partilhada no Twitter que mostra Variações e a mãe, em 1972, na aldeia onde o cantor nasceu e viveu até se mudar para Lisboa.

A imagem não tem muitos detalhes e é acompanhada apenas pela legenda: "Um jovem António Variações (aqui ainda António Ribeiro) com a mãe, Deolinda de Jesus, na sua aldeia-natal de Fiscal, em Amares, Braga, julho de 1972".

António Variações é um dos nomes mais importantes da música portuguesa após 1980, mas consegue esta posição tendo apenas editado dois álbuns de originais, "Anjo da Guarda", de 1983, e "Dar & Receber", de 1984, este último já com um sucesso relativo. Foi precisamente neste disco que homenageou a mãe, ao escrever e cantar o tema "Deolinda de Jesus".

António Joaquim Rodrigues Ribeiro nasceu em Fiscal, Amares, a 3 de dezembro de 1944 e morreu em Lisboa a 13 de junho de 1984. Ficou conhecido por "Variações" já que quando começou a cantar tocava com uma banda chamada Variações e nos cartazes o "e" de António e Variações era impercetível. Isso fez com que quem o ia ver aos espetáculos começasse a conhecê-lo por António Variações, não sabendo que o Variações era apenas o nome da banda que estava no cartaz.

A filme do cantor levou a que em 2020 tivesse sido rodado um filme com a história de vida de António. "Variações" é ainda hoje um dos filmes mais vistos da história do cinema português.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.