Numa altura em que continua a haver poucas histórias inclusivas na televisão (ou em streaming), "Special" destaca-se por sê-lo a dobrar. Deambulando entre a ficção e a realidade, a série de comédia é uma espécie de autobiografia de Ryan O’Connell, a pessoa que na série dá vida a Ryan e que, tal como a personagem, é um homem gay que sofre de paralisia cerebral.

E a história de "Special" parte precisamente desta premissa, acompanhando a entrada de um jovem adulto no mercado do trabalho à medida que este se vê obrigado a lidar não só com as suas primeiras relações amorosas, mas também com o preconceito daqueles com quem se vai cruzando nos mais variados contextos.

A diferença nem sempre é tolerada e isso vai sendo visível à medida que os obstáculos se vão interpondo no caminho de Ryan que, apesar disso, nunca desiste nem se deixa reduzir pela perceção que os demais têm dele. A série, que é um conteúdo original da Netflix, faz uma crítica social ao preconceito, à ostracização e ao direito à diferença através do humor e da representação da vida rotineira de alguém que, por todos os motivos, poderia sentir a tendência para desistir; para se sentir reprimido e não lutar.
Ao longo de oito episódios, de apenas 15 minutos cada, "Special" serve como uma espécie de catarse de Ryan O'Connell, já que é através dela que o ator aborda os dois medos com que foi habituado a crescer: a exclusão de que pessoas portadoras de deficiências são alvo e a homofobia.

Criada pelo próprio, sabe-se que já está confirmada uma nova temporada, que será também a última, e cuja data de estreia está marcada para 20 de maio. Do elenco fazem parte nomes como Jessica Hecht, Punam Patel, Marla Mindelle, Augustus Prew, Patrick Fabian e Christopher Lee Herod.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.