O 24.º livro de José Rodrigues dos Santos chega às livrarias a 20 de outubro e pretende responder à questão: "Será a China mais perigosa do que a Rússia?". Entre a realidade e a ficção, "A Mulher do Dragão Vermelho" (o primeiro do autor na Planeta Editora) tem no epicentro da história o rapto de duas mulheres, Madina e Maria Flor (mulher do protagonista da saga), que desaparecem misteriosamente na Índia.

É aqui que entra o professor de história e criptólogo Tomás Noronha, que parte para o Oriente para resgatar as mulheres (uma das quais de interesse para a CIA, que também envia um agente para resolver o caso).

Livro de José Rodrigues dos Santos vai transformar-se em série. "Codex 632" chega à RTP em 2022
Livro de José Rodrigues dos Santos vai transformar-se em série. "Codex 632" chega à RTP em 2022
Ver artigo

O símbolo de uma profecia bíblica é o ponto de partida para uma viagem que cruza a ficção (a história de Madina, uma mulher chinesa filiada no Partido Comunista que se vê obrigada a confessar crimes que não cometeu) com a realidade (a guerra entre Rússia e China pelo domínio geopolítico mundial, um tema pleno de atualidade num momento em que a guerra na Ucrânia ameaça o equilíbrio de forças entre o Oriente e o Ocidente).

José rodrigues dos santos
créditos: Planeta dos Livros

O livro do jornalista da RTP aborda temas da atualidade relacionados com a China, como os trabalhos forçados nas fábricas de têxteis, que fornecem mão de obra barata para as marcas de fast fashion, a censura digital, o controlo de informação e dos dados biométricos dos cidadãos, os campos de "formação e educação" onde, alegadamente, as autoridades chinesas colocam dissidentes do regime e o alegado genocídio dos uigures, minoria étnica muçulmana perseguida naquele país.

"A Mulher do Dragão Vermelho" é o 12.º livro da saga protagonizada pelo professor de História Tomás Noronha. O primeiro, "O Codex 632", lançado em 2005, está a ser adaptado a televisão pela RTP e deverá estrear-se em 2023. Os protagonistas são Paulo Pires e Deborah Secco.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.