Continuamos a aproveitar o bom tempo com sugestões de atividades ao ar livre. Este mês propomos um passeio na natureza, à procura de brinquedos. Sim: brinquedos!

Sejamos honestos: os brinquedos que compramos nas lojas são imitações cada vez mais perfeitas da realidade "adulta", que deixam cada vez menos espaço à imaginação infantil.

Já todos reparámos, com certeza, que, nas idades mais tenras, o embrulho desperta mais interesse na criança do que o brinquedo embrulhado.

Conheça a nova app onde os miúdos podem aprender a poupar e a gerir o seu dinheiro
Conheça a nova app onde os miúdos podem aprender a poupar e a gerir o seu dinheiro
Ver artigo

Os chamados brinquedos não estruturados estão em todo o lado. São objetos do quotidiano, desperdícios a caminho do lixo (fitas, cascas de laranja), recicláveis (tampas, rolhas) bens da natureza (conchas, pinhas). Todos à mão de semear, à espera que a fantasia infantil lhes atribua novos propósitos ou diferentes significados.

É importante reforçar nas crianças a sua potencialidade inata de ver para além dos limites de cada objeto. Ao contrário do que acontece com os brinquedos convencionais ou já feitos, estimular a criança a procurar coisas que podem ser "outras coisas" permite-lhe criar a sua própria brincadeira, de acordo com o seu nível de desenvolvimento, idade, interesses.

A atividade que propomos é apenas um exemplo de como estimular a faceta criadora que cada criança alberga.

Materiais:

  • Uma caixa de lápis de cor ou de cera
  • Um chapéu
  • Protetor solar q.b.
  • Óculos de sol (opcional)

Instruções:

Escolhemos o Parque da Serafina, em Lisboa, mas a premissa é válida em qualquer outro cenário.
Veja o nosso vídeo e parta com os seus miúdos à aventura!

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.