Cláudia Madaleno sempre foi uma apaixonada por sapatos. Apesar de o percurso profissional nunca ter estado relacionado com o mundo da moda, esta paixão pelo calçado, e a vontade de ter uma coleção sua, levaram-na a criar uma nova marca de sapatos totalmente feitos em Portugal, a Sarah Maier.

"A marca começou a ser pensada no final de 2019, e no início de 2020 o projeto começou a ser posto em prática. As ideias são minhas, mas eu não sou estilista, por isso tenho um designer que coloca em papel aquilo que eu idealizo", conta a luso-angolana de 44 anos à MAGG.

Carina Caldeira lança botas que fazem lembrar os sapatos da Barbie. Saiba quanto custam
Carina Caldeira lança botas que fazem lembrar os sapatos da Barbie. Saiba quanto custam
Ver artigo

Tudo começou em 2020, em plena pandemia, o que acabou por atrasar todo o processo até à comercialização — que está marcada para o final deste mês. Para já, os modelos podem apenas ser vistos no site. Ainda assim, apesar de os sapatos ainda não estarem à venda, Cláudia já recebeu várias mensagens de pessoas que mostram interesse em adquirir uma das suas criações — o que a fez disponibilizar a opção de pré-reserva.

"Criar emoções e fazer com que as mulheres se sintam sedutoras, elegantes e confortáveis" é o que Cláudia Madaleno pretende transmitir com a Sarah Maier. No site, a marca conta já com vários modelos: que vão desde as botas aos ténis. As botas Londres 01 nas versões, black, taupe e petrol ou os sapatos Paris 01 em preto, bege e azul são apenas algumas das opções cujos preços variam entre os 187,50€ e os 400€.

"A marca é um segmento de luxo e devido ao custo dos materiais chegámos a este preço. A produção é toda artesanal e feita em Portugal e cada material foi pensado, escolhido e testado ao pormenor para ter a máxima qualidade", explica a criadora da marca à MAGG.

Para já, os modelos são todos para mulher, mas poderá haver no futuro também opções masculinas.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.