A Nespresso e a Zèta, start-up francesa de moda sustentável, são as marcas responsáveis por uns ténis feitos a partir de um material para lá de original. Numa altura em que há esforços redobrados em torno da sustentabilidade, surge mais uma alternativa: o aproveitamento das borras de café no calçado (e com estilo).

Os RE:GROUND são os primeiros ténis do mercado a conter aquele resto de café que costuma deitar fora depois de feita a bebida. Foram produzidos em Portugal, mais propriamente em Ovar, pelas empresas Rudis e Tintex, sendo que foi esta última que criou o couro através das borras. Este resíduo orgânico é inserido na parte superior e na sola dos ténis.

Expresso, longo ou obra prima de barista. Nespresso lança o Rolls Royce das máquinas de café
Expresso, longo ou obra prima de barista. Nespresso lança o Rolls Royce das máquinas de café
Ver artigo

Além do caráter inovador e sustentável deste calçado pioneiro, há que destacar a sua versatilidade. Brancos, com atacadores e detalhes em tons de castanho, são sofisticados o suficiente para levar para a reunião da empresa, mas também descontraídos para os usar durante o brunch com a família.

Em cada par desta coleção cápsula de edição limitada estão quantidades de borras de café recicladas equivalentes a 12 cafés espresso, recolhidas através do programa de reciclagem de cápsulas da Nespresso, mas não é só: os ténis em si contêm pelo menos 80% de materiais reciclados ou renováveis.

Deste modo, pode estar a calçar plásticos do Mediterrâneo, cortiça, borracha ou até látex reciclados. Apenas tem de escolher entre o modelo Latte, com a sola branca, o Cappucino, de sola bege, ou o Ristretto, com a sola castanha. Todos eles combatem o desperdício e podem ser adquiridos no site da Zèta, por 155€.

Numa tentativa de reduzir a pegada ecológica, os envios são feitos exclusivamente para a Europa. O desenvolvimento deste calçado foi aperfeiçoado durante cerca de oito meses.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.