Encerradas devido à pandemia da COVID-19, as Termas de Melgaço reabriram ao público a 1 de junho com tratamentos ideais para combater as consequências da doença que tem afetado milhares de portugueses nos últimos tempos. A verdade é que, mesmo que não tenhamos apanhado o vírus, a pandemia afetou a saúde física e mental da maioria da população e por isso este tipo de tratamentos ganhou mais relevância.

Holmes Place tem agora um programa de reabilitação para pessoas com sequelas da COVID-19
Holmes Place tem agora um programa de reabilitação para pessoas com sequelas da COVID-19
Ver artigo

"O período de confinamento levou ao sedentarismo por parte da população. As pessoas estiveram fechadas em casa, houve uma diminuição da atividade física e o stresse, associado a esta fase complicada que estamos a passar, aumentou. Tudo isso influencia o corpo da pessoa, quer seja por fragilidades que levam à diminuição da força ou pela parte do stresse acumulado em tensões no corpo", explica em entrevista à MAGG Miriam Silva, fisioterapeuta do medical center das Termas de Melgaço.

Circuitos termais, fisioterapia, nutrição e massagens terapêuticas são algumas das ofertas destas Termas situadas no distrito de Viana do Castelo e conhecidas pelos elevados benefícios das águas. No que diz respeito aos tratamentos que combatem as sequelas da COVID-19, Miriam explica que estes já existiam, mas que foram adaptados às necessidades atuais.

A temperatura quente das águas dos circuitos termais é apontada pela especialista como uma mais valia para todos os problemas. "A temperatura quente no corpo vai promover um relaxamento muscular e a libertação das endorfinas que vão reduzir a dor corporal. No caso da fisioterapia, uma vez que a pessoa já está mais relaxada pela temperatura quente da água, o tratamento será muito melhor absorvido. É um trabalho sempre conjunto, uma vez que para a parte respiratória temos também o benefício das próprias águas e das técnicas de fisioterapia respiratória", esclarece Miriam.

No caso específico da COVID-19, tendo em conta que as pessoas são todas diferentes, as sequelas também o são e por isso os tratamentos têm de ser adaptados. Assim, para que cada pessoa receba o tratamento ideal, é feita uma avaliação individual antes do começo de cada intervenção.  "A primeira fase é sempre uma avaliação com entrevista. Em casos de pessoas com COVID-19, é importante saber como é que a pessoa está, como foi esse período em que esteve infetada (se esteve em casa, se houve necessidade de hospitalização ou ventilação) e fazer o estado clínico."

Para que todos os parâmetro sejam bem estudados, o medical center das Termas de Melgaço é composto por uma equipa multidisciplinar da qual fazem parte um médico de medicina geral, fisioterapeutas, nutricionistas e especialistas de medicina tradicional chinesa.

Os tratamentos podem ser feitos por qualquer pessoa, independentemente da faixa etária. "As crianças, tanto como os adultos , também se lesionam e, além da parte da COVID-19, nas termas temos outras áreas de tratamentos mais gerais. Até os recém nascidos, às vezes, necessitam deste tipo de fisioterapia", diz Miriam.

Em termos de preços, tanto as consultas de fisioterapia como as de medicina geral custam 30€. Já a de medicina chinesa, a primeira sessão é 45€ e as restantes passam também para 30€.  No caso dos circuitos termais, o preço varia consoante o tempo, mas podem custar a partir de 18€. As massagens começam nos 15€.

Segundo Miriam, o que diferencia as Termas de Melgaço de outras termas do País são os elevados benefícios das suas águas para vários tipos de doenças. "As águas são todas diferentes de região para região e os benefícios, como tal, também são diferentes. No caso das Termas de Melgaço, as nossas águas dão para muitos problemas (intestinais, musculares ou respiratórios) e sabemos também que são muito boas para quem sofre de diabetes", remata a fisioterapeuta.

Morada: Parque do peso - Paderne 4960- 207 Melgaço
Telefone:  251 404 404
E-mail: geraltermasdemelgaco@gmail.com
Horário: Todos os dias das 9h30 às 12h30 e das 15h às 19h30

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.