Estávamos no final de outubro quando Catarina Barreiros anunciou na sua página de Instagram que ia iniciar a sua aventura do desafio Ding Dong, uma iniciativa criada pela Comissão Europeia com o objetivo de apresentar projetos de sustentabilidade no seu País, Portugal. Dias depois, Catarina fez-se à estrada num desafio que iria muito além da partilha da sua experiência. 

A crescente preocupação com a sustentabilidade e o facto de cada vez mais empreendedores criarem projetos dentro desta área fez com que a Comissão Europeia quisesse dar a conhecer esses projetos não só aos cidadãos de cada país, como ao mundo. A iniciativa envolveu 15 influenciadores em cinco países: Alemanha, Grécia, Bélgica, Lituânia e, claro, Portugal. 

A Catarina Barreiros juntou-se Anna Masiello, italiana mas a viver em Portugal há vários anos, e criadora de conteúdos na página Hero to Zero, onde incentiva os seus mais de 24 mil seguidores a adotarem um estilo de vida mais sustentável e onde partilha várias dicas de zero waste. Além de Catarina e Ana, também o ator Afonso Cabral Lopes foi desafiado a entrar neste desafio. 

E em que é que consistiu, afinal, o desafio Ding Dong? Cada um dos influenciadores escolhido pela Comissão Europeia tinha de estar envolvido no projeto durante dez dias. Nos primeiros três, cada um fez um kick off do projeto onde anunciariam aos seus seguidores o que estavam a fazer e quais os desafios a que se tinham proposto. 

Depois, durante cinco dias, cada um visitaria projetos de sustentabilidade que estão atualmente a ser desenvolvidos em Portugal. Apesar de algumas visitas terem sido feitas fisicamente, grande parte foram apenas através do digital, devido à pandemia da COVID-19. Nos últimos dias, teriam de passar esse desafio a um dos outros influenciadores que entraram na iniciativa. 

A primeira a começar foi então Catarina Barreiros, que conheceu seis projetos, quase todos pessoalmente: a The Landscape Farm, onde descobriu como são produzidos os alimentos que, depois, lhe chegaram à mesa e que são todos produzidos naquele mesmo local. Na quinta, conheceu também o escultor Luís Cruz, que utiliza madeira de árvores mortas ou queimadas para criar arte. 

De volta a Lisboa, Catarina experimentou as City Changer Cargo Bike, um projeto de mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa, e conheceu ainda o projeto Pedalar Sem Idade Lisboa, onde voluntários levam pessoas mais velhas ou com mobilidade reduzida a dar passeios pela capital portuguesa.

Teve ainda a oportunidade de conhecer as instalações da Refood Lumiar, uma empresa que se dedica ao aproveitamento alimentar combatendo o desperdício, e de fazer dois Instagram Lives com o projeto Zero Waste Lab com quem fez o seu Green Challenge: recolher brinquedos para que possam ser reciclados e, mais tarde, reutilizados. 

Além disso, Catarina aceitou também um outro desafio. Durante a sua viagem de cinco dias, usou apenas cinco peças de roupa com o objetivo de mostrar como é possível ser versátil, mesmo com um armário reduzido. 

Passando para Anna Masiello, a sua viagem começou na olha das Berlengas, em Peniche, onde conheceu o projeto Life Berlengas with SPEA, onde um pescador está a ajudar outros a recolherem lixo das suas redes de pesca, mas também a salvar espécies de pássaros que, muitas vezes, ficam presos nessas redes. O objetivo é a preservação destas espécies que, em alguns casos, estão em risco de extinção.

Anna teve também a oportunidade de conhecer o Município de Arouca, onde conhece a ponte 516 Arouca, uma ponte de 516 metros, suspensa 175 metros acima do rio Paiva. A ponte fica no Geoparque de Arouca, reconhecido pela UNESCO como património geológico da Humanidade. 

Já de volta a casa, Anna conheceu ainda três outros projetos: o ECOMARE, que se debruça sobre os derrames de óleo nos rios e mares, falou com o Professor Óscar Ferreira sobre a problemática da erosão costeira em Portugal, e teve ainda a oportunidade de conhecer o projeto CleanAtlantic, falando com João Monteiro da ARDITI, no Funchal. Esta iniciativa tem o objetivo de prevenir e remover o lixo do oceano Atlântico e, durante a entrevista, Anna descobriu qual a tecnologia que está a ser utilizada para ajudar nesta tarefa. 

Para o seu Green Challenge, Anna tinha um objetivo: se a ponte de Arouca tem 516 metros, então tinha de conseguir recolher 516 pedaços de lixo. Na altura em que gravou este vídeo, o número já tinha mais do que duplicado, sendo que recebeu mensagens de várias zonas do País e do mundo, tal como partilhou no seu Instagram.

Finalmente, a pasta do desafio Ding Dong chegou a Afonso Cabral Lopes. O ator de 25 anos era talvez o que começava a dar os primeiros passos neste universo da sustentabilidade, mas ao longo dos dias em que esteve envolvido no projeto da Comissão Europeia, descobriu um mundo onde ainda tem muito por onde explorar. 

O seu Green Challenge passou por adotar uma alimentação mais saudável e, acima de tudo, sustentável. Por isso, Afonso partilhou uma receita vegan através da sua conta de Instagram, de maneira a incentivar todos os seus seguidores a fazerem o mesmo. 

Além disso, teve a possibilidade de conhecer, através de videochamadas e lives de Instagram, o trabalho de três projetos portugueses. Em primeiro lugar, a marca Wayz, uma marca portuense de ténis sustentáveis e vegan, que utiliza apenas materiais provenientes de produtores portugueses que não causem impacto ambiental na produção. 

Depois, Afonso falou com o chef António Loureiro do restaurante aCozinha, em Guimarães, reconhecido em 2018 pelo Guia Michelin como o restaurante mais sustentável do mundo. Na primeira conversa que tiveram via Instagram, Afonso viu o chef a colher vegetais orgânicos de uma quinta local e, na segunda live, o chef desafiou Afonso a recriar um prato vegetariano com esses mesmos vegetais. 

Ainda através do digital, o ator conheceu a Icecare, uma empresa de gelados artesanais que utiliza apenas ingredientes orgânicos e cujas receitas são isentas de lactose e baixas em açúcar e gordura. Por fim, falou ainda com a Câmara Municipal de Braga, que lhe apresentou os seus autocarros elétricos, bem como o Funicular do Bom Jesus, que funciona através da força da água. 

Mas a verdadeira experiência do Ding Dong Challenge aconteceu quando Afonso esteve no Parque Nacional Peneda Gerês a conhecer a comunidade da região, e a perceber de que forma é que a sustentabilidade está presente no Parque. Ali, conheceu produtores locais, cozinhou pão, provou receitas preparadas com ingredientes produzidos na região e  teve ainda a oportunidade de conhecer o GERÊS XURÉS DINAMIC, um projeto que trabalha na preservação da biosfera da região. 

Pode conhecer melhor o desafio Ding Dong através do site ou do Instagram, onde pode acompanhar também as viagens dos restantes influenciadores europeus.  Pode também saber mais sobre a experiência dos três portugueses através das suas páginas de Instagram.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.