A TVI assinala este domingo, 20 de fevereiro, 29 anos. A festa fez-se este sábado, com uma gala no Casino Estoril, apresentada por Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira, e onde marcaram presença as principais caras da estação de Queluz de Baixo.

Para assinalar o aniversário daquele que foi o segundo canal privado a nascer em Portugal, propomos uma viagem no tempo. Vamos abrir o baú das memórias e recordar 29 programas da TVI que, fazendo parte da história do canal, provavelmente já nos tínhamos esquecido.

Há reality shows grandiosos que não foram além da primeira edição, programas em que se falavam com mortos, concursos entre universidades e até desenhos animados. Sente-se confortavelmente e entre connosco na máquina do tempo.

"Momentos de Glória" (1994)

O formato de grande entretenimento marcou a primeira passagem de Manuel Luís Goucha na TVI. Durou apenas uma temporada e contava com convidados internacionais, como Jeremy Irons, Joan Collins, Catherine Deneuve ou Geraldine Chaplin. A ex-Miss Portugal Carla Caldeira era co-apresentadora. O programa tinha também um concurso de talentos, pelo qual passou menina de 15 anos chamada Mónica Sintra.

Doutores e Engenheiros (1994 - 1995)

Mais de duas décadas antes de se ter tornado candidato à câmara municipal de Lisboa, Nuno Graciano era um dos apresentadores mais baris (para usar um termo à anos 90) da TV portuguesa. Juntamente com Mila Ferreira, conduziu "Doutores e Engenheiros", concurso em que duas universidades se confrontavam nas mais diversas provas.

"O Jogo do Ganso" (1994 - 1998)

Houve um tempo, na televisão portuguesa, em que se compravam formatos internacionais e, à falta de orçamento para fazer adaptações locais, se pegavam em vozes conhecidas e se fazia locução / dobragem dos programas. A SIC tinha o atrevido e, aos dias de hoje, impossível de replicar, "Água na Boca" (no original italiano "Colpo Grosso") e a TVI, que à época ainda era pertença da Igreja Católica, o mais familiar "El Gran Juego de la Oca" (da espanhola Antena 3), traduzido como "O Jogo do Ganso". A locução estava a cargo de Maria de Lima e do ator António Cordeiro, que morreu em janeiro de 2021.

"Ri-te, Ri-te" (1999 - 2000)

João Melo, Cristina Möhler e Sónia Brazão apresentavam o programa de humor a atuações musicais. Ana Barbosa, ex-concorrente da última edição do "Big Brother" passou por lá, bem como um humorista que, à época, não era conhecido, de seu nome Fernando Rocha.

"Reis da Música Nacional" (1999 - 2000)

Antes de ser repórter da primeira edição do "Big Brother", em 2000, e de se tornar marido da atriz Fernanda Serrano, Pedro Miguel Ramos apresentou, ao lado de Rute Marques, o formato de entretenimento por onde passavam os maiores nomes da música nacional. O programa saía de estúdio e tinha várias emissões feitas ao vivo e em direto.

"Rita Catita" (2000 - 2001)

A TVI nunca foi conhecida por apostar em formatos infantis mas, em 2000, criou o programa interativo "Rita Catita". A protagonista, uma menina chamada Rita, acompanhada do seu urso Oops, falava em tempo real com os telespectadores, que ligavam para o programa e participavam em provas, usando as teclas do telefone. Foi usada uma tecnologia inovadora à época, chamada Real Time Animation, foi utilizada pela primeira vez em Portugal no programa da RTP2 "Hugo".

"Dinheiro à Vista" (2000-2001)

Quando o País ainda contava em contos, Luísa Castel-Branco apresentava um concurso cujos prémios, aos dias de hoje, são de fazer corar qualquer "Joker" ou "Quem Quer Ser Milionário". 30 mil contos (quase 150 mil euros), um automóvel topo de ganha e uma viagem. O concurso, exibido ao final da tarde durante a semana, marcou o início de uma nova era na TVI (é contemporâneo da estreia da primeira edição do "Big Brother").

"Survivor" (2001)

No encalço do sucesso do "Big Brother", a TVI começou a apostar todos os trunfos nos reality shows. "Survivor" foi um deles e, mesmo à luz dos dias de hoje, uma mega-produção com custos exorbitantes. As filmagens aconteceram no Panamá ao longo de mais de um mês e o jornalista Paulo Salvador era o apresentador (Teresa Guilherme conduzia os diários). O vencedor do formato de resistência às adversidades da vida na selva foi Pedro Besugo.

"A Ilha da Tentação" (2001)

Quatro casais testam a sua relação numa ilha paradisíaca, tendo encontros com vários solteiros sedutores. Fernanda Serrano era a repórter de serviço (a única temporada do formato foi gravada algures nas Honduras) e Carlos Ribeiro o apresentador. O reality show só teve uma temporada em Portugal mas, lá fora, teve três iniciais e uma quarta, em 2019.

"Domingo Fantástico" (2002)

Muito antes de "Domingão" ou "Somos Portugal", a TVI teve "Domingo Fantástico". Conduzido por Ana Malhoa, o formato marcava o regresso da cantora à televisão depois do sucesso retumbante de "Buereré", na SIC. O programa de entretenimento com artistas nacionais não teve o mesmo sucesso que o formato infantil e só teve uma temporada.

 "As Manhãs de Sofia" (2002)

Em 2002, a TVI apostava em Sofia Alves para apresentar as manhãs da estação e, assim, tentar bater Manuel Luís Goucha (na altura na RTP1) e Fátima Lopes (que estava na SIC e era líder de audiências, com "SIC 10 Horas"). A experiência não correu bem, a atriz abandonou o projeto a meio ...literalmente. Bateu com a porta a uma sexta-feira e, em apenas 72 horas, a estação teve de arranjar uma solução.

Teresa Guilherme (também produtora do programa) assumiu a condução do formato, juntamente com Rita Salema. Meses mais tarde, Manuel Luís Goucha mudava-se para a TVI e assumia este horário, com "Olá Portugal".

"Rosa Choque" (2003)

Teresa Guilherme, Júlia Pinheiro, Cinha Jardim, Margarida Rebelo Pinto eram as participantes desta espécie de tertúlia em que eram abordados temas da atualidade, com um toque de polémica e atrevimento. As audiências foram modestas e o programa teve uma vida curta.

"Fear Factor - Desafio Total" (2004)

Leonor Poeiras e José Carlos Araújo formavam a dupla de apresentadores que conduziu este reality show de aventura, em que concorrentes famosos (ex-concorrentes do "Big Brother", atores, cantores e outras celebridades) enfrentavam os seus maiores medos em provas de exigência física e mental. Só teve uma temporada.

"Fiel ou Infiel? Teste de Fidelidade" (2005 - 2007)

"Que degredo" é uma expressão perfeita para descrever o programa apresentado pelo brasileiro João Kléber. Atores contratados encenavam situações em que casais eram confrontados com as mais variadas situações de suposta infidelidade. Havia peixeirada para todos os gostos, muitos gritos, insultos, agressões e uma plateia ao rubro.

"O Meu Odioso e Inacreditável Noivo" (2006)

Na senda do "Big Brother", a TVI deu tudo nos reality shows. Mas nem todos tiveram o mesmo sucesso. Júlia Pinheiro conduziu este formato que misturava ficção com realidade e no qual uma jovem tinha de convencer a família e os amigos que ia casar-se com um homem que não era, digamos assim, uma joia de pessoa.

"Casamento de Sonho" (2007)

Teresa Guilherme até pode ser apelidada de casamenteira dos reality shows mas, pelo menos na década de 2000, quem deu tudo em formatos dedicados ao matrimónio foi Júlia Pinheiro. "Casamento de Sonho" era um pot pourri de provas e desafios, em que o objetivo era ganha 100 mil euros para pagar o casamento e a lua de mel. O prémio era disputado por 14 casais. Havia provas de dança e canto, uma Casa do Amor, padrinhos famosos e até sogras.

"A Bela e o Mestre" (2007)

Este reality show, que podia chamar-se "A boazona e o nerd", tinha por objetivo emparelhar mulheres bonitas com homens não tão bonitos e sem jeito para lidar com o sexo oposto. O objetivo de cada um dos casais era convencer o público de que havia química entre eles e o prémio final era de 100 mil euros. Iva Domingues e José Pedro Vasconcelos eram os anfitriões, Carlos Quevedo, Rui Zink (sim, leu bem), Clara Pinto Correia, Marisa Cruz e Paula Bobone eram jurados.

"Toca a Ganhar" (2007 - 2008)

Aquele que foi o pai de todos os programas de madrugada com chamadas de valor acrescentado teve Liliana Aguiar e Andreia Rodrigues como apresentadoras. Entre as duas e as três da manhã, os telespectadores ligavam para participar em jogos de adivinhas, na esperança de ganhar um prémio.

"Caia Quem Caia" (2008)

O programa de humor irreverente teve José Pedro Vasconcelos, Joana Cruz e Pedro Fernandes como apresentadores. Havia também repórteres de fato preto e óculos escuros que, nos mais diversos eventos, confrontavam celebridades com perguntas embaraçosas. O formato foi um sucesso em países como Argentina, Espanha e Brasil. Em Portugal teve apenas uma temporada.

"Nasci P'ra Cantar" (2009)

Na sua (muito) curta passagem pela TVI, antes de regressar à RTP, Herman José apresentou este concurso de talentos, uma espécie de "A Tua Cara Não Me é Estranha" mas com anónimos. Sofia Grillo, André Sardet e Rui Massena eram os jurados e o vencedor foi Delfim Miranda, que continua a realizar espectáculos de tributo a Michael Jackson.

"Depois da Vida" (2009 - 2012)

Um dos mais bizarros programas da televisão portuguesa tinha uma médium, Anne Germain, que alegava conseguir falar com mortos. Júlia Pinheiro (e, depois, Iva Domingues) conduziam o formato onde pessoas (anónimos e famosos) que tinham perdido entes queridos procuravam algum conforto e respostas.

"Canta Comigo" (2011)

Rita Pereira e Nuno Eiró apresentavam este concurso de talentos, exibido durante o Verão e feito ao vivo e em direto, em seis diferentes cidades do País. Luís Jardim e Fátima Lopes eram os jurados.

"Não há Bela sem João" (2012 - 2013)

O talk show de sábado à tarde marcou a estreia de João Paulo Rodrigues como apresentador, após ter vencido "A Tua Cara Não me é Estranha". O humorista formava dupla com Marisa Cruz, num formato por onde passavam artistas musicais e caras da estação.

"OK KO" (2013)

João Paulo Rodrigues e Vera Fernandes formavam a dupla de apresentadores do concurso exibido ao final da tarde, durante a semana. "OK KO" foi um fracasso de audiências e foi retirado de antena mesmo antes de serem exibidos todos os programas gravados.

"Rising Star - A Próxima Estrela " (2014)

Leonor Poeiras e Pedro Teixeira foram os anfitriões daquele que foi apresentado como o primeiro talent show interativo e em tempo real. Os telespectadores votavam através de uma aplicação e a percentagem surgia num ecrã gigante. Pedro Ribeiro, Cuca Roseta, Rita Guerra e Carlão eram os jurados e o vencedor foi Bruno Correia. O programa teve apenas uma temporada.

"Cristina" (2015)

O programa de entrevistas, conduzido por Cristina Ferreira, teve 11 emissões. Entre os entrevistados, estiveram nomes como Ricardo Araújo Pereira, Ricardo Quaresma, Marcelo Rebelo de Sousa e Teresa Guilherme.

"Let's Dance - Vamos Dançar" (2017)

O concurso de dança, conduzido por Fátima Lopes, tinha por objetivo dar a conhecer os novos talentos portugueses nesta arte. Começou por ter emissões contínuas no TVI Reality mas, devido às baixas audiências, passou a ser exibido apenas aos sábados. Rita Pereira, César Augusto Moniz e Cifrão eram os jurados.

"Desafia-te: Nunca digas Nunca!" (2017-2018)

Ana Sofia Martins e Pedro Teixeira conduziram o concurso, exibido aos sábados à tarde. O programa não atingiu os resultados esperados e terminou ao fim de apenas três meses.

"Quem Quer Casar com o Meu Filho" é cancelado pela TVI
"Quem Quer Casar com o Meu Filho" é cancelado pela TVI
Ver artigo

"Quem Quer Casar com o Meu Filho?" (2019)

O reality show, conduzido por Leonor Poeiras, que misturava candidatas solteiras, sogras e jovens casadoiros foi um dos maiores flops de audiências da estação de Queluz de Baixo. O programa foi cancelado a meio, não só devido às fracas audiências mas também devido às críticas arrasadoras por parte do público, que classificou o formato de machista e sexista.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.