A partir do próximo domingo, 29 de novembro, os fãs portugueses de Ana Maria Braga vão poder ver o célebre programa das manhãs "Mais Você". O talk show, no ar no Brasil há 21 anos, passa a ser emitido no canal Globo, disponível em todas as operadoras.

A veterana da rede Globo revela os segredos da longevidade do "Mais Você", fala-nos do seu amor a Portugal (onde já gravou vários especiais), da importância da fé na sua vida e também sobre a sua congénere portuguesa, Cristina Ferreira. Esta entrevista, em exclusivo para Portugal, foi feita através de email e as questões enviadas antes da morte de Tom Veiga, o ator que dava vida ao boneco Louro José, companhia da apresentadora no "Mais Você".

Ana Maria Braga recorda Tom Veiga
Ana Maria Braga recorda Tom Veiga créditos: Instagram

21 anos de "Mais Você". Qual é o segredo para se manter atual e relevante no panorama televisivo mundial, uma vez que a diáspora brasileira também assiste ao seu programa?
Muito empenho e amar o que se faz. Tenho no meu trabalho uma das maiores fontes de prazer da vida e isso me motiva sempre e cada vez mais a pesquisar, descobrir novidades, comportamentos, pesquisar, estudar e buscar criar, junto com a minha equipe, um programa que entretenha os mais variados perfis de público que assistem o "Mais Você" aqui e fora do Brasil. Sinto que os brasileiros que vivem fora do nosso país se sentem mais próximos e matam a saudade da pátria amada assistindo o programa e vendo situações que foram do quotidiano deles, receitas com ingredientes que conhecem e temas que faziam parte da vida deles. Isso aquece o coração de quem está longe de casa e da família.

Devido à pandemia, trocou a Casa de Cristal pela sua casa. Como foi viver essa adaptação a esta nova realidade?
O cenário do "Mais Você" sempre foi uma extensão da minha casa, com a mesma energia, tudo muito prático e funcional, como minha casa mesmo. Já aqui em casa tivemos que adaptar algumas questões técnicas, mas a equipe é extremamente cuidadosa e tudo está em sintonia. Tem o lado bom de acordar já dentro do trabalho, mas mesmo assim continuo pulando da cama bem cedo para me atualizar sobre os fatos da manhã, passar o programa com a direção e me preparar para entrar no ar.

Foram criados novos sgmentos durante a quarentena, que se mantêm no programa. Como é que eles refletem (e ajudam) a forma como o povo brasileiro está a enfrentar esta crise pandémica?
Temos tido um olhar ainda maior de solidariedade e empatia na busca de matérias que mostrem soluções práticas e fazíveis para que as pessoas possam se reinventar nessa pandemia. Também buscamos trazer leveza, com assuntos bem humorados, que divirtam e aliviem os telespectadores.

Aqui em Portugal (e creio que também no Brasil) a TV tem sido, ao longo destes meses difíceis, uma companhia essencial para quem se encontra confinado em casa. Sentiu que a sua presença tem sido, mais do que nunca, essencial?
Fico muito lisonjeada com a onda de amor que os telespectadores me enviam todos os dias e, dos recados de saudade e de que fazemos falta na manhã de todos, quando estávamos fora do ar. Nós somos a companhia das pessoas em casa e eles são nossa companhia, é energia trocada, um apoiando o outro neste período tão complexo.

Em 2019, esteve no Algarve a fazer gravações para o "Mais Você". Que recordações levou dessa região do País?
Fiquei encantada com a história da região, foi um roteiro simples e gostoso. Destaco o túnel secreto no Centro da capital Faro, a Gruta de Benagil... As praias são lindas, tem mais de vinte igrejas, todas belíssimas, além da alta gastronomia.

É uma devota de Nossa Senhora de Fátima e tem até uma imagem da Virgem em sua casa. De que forma é que a fé a tem ajudado a superar os momentos menos bons da sua vida? E nesta fase da pandemia em particular?
A minha fé é um motor de propulsão que me levanta e me ajuda a superar todas as dificuldades. Todos temos problemas, alguns enfrentam de uma maneira mais prática e outros nem tanto. É preciso respeitar, mas a vida me ensinou que eu preciso avaliar o quanto cada situação merece ou não minha atenção e sofrimento. Isso me faz ter mais bons momentos e ver, mesmo com todas as perdas desta pandemia, que teremos a vacina e que lentamente o mundo voltará ao normal.

Ana Maria Braga é devota de Nossa Senhora de Fátima
Ana Maria Braga é devota de Nossa Senhora de Fátima créditos: Instagram

Aqui em Portugal, Cristina Ferreira, a apresentadora mais mediática do daytime, tornou-se recentemente também diretora da TVI. Ter um cargo numa emissora foi, alguma vez, algo que a seduzisse?
Ela tem um caminho que posso dizer que foi o inverso do meu profissionalmente. Nunca fui diretora de uma emissora de TV, mas era diretora dos meus programas na TV Record e também fui executiva de contas em uma grande editora. Hoje me dedico exclusivamente ao programa e aos meus negócios comerciais particulares, mas nunca fecho portas.

Até quando se vê fazendo televisão?
Até quando me quiserem na telinha e eu continuar com a mesma alegria de levantar todos os dias com a certeza que posso fazer diferença no dia de alguém.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.