Esta segunda-feira, 26 de abril, aconteceu História. Não, não estamos a falar da estreia da nova novela da TVI "Festa é Festa". Pela segunda vez em duas décadas, jornalistas entraram na casa do "Big Brother". A primeira (e, até agora, a única) aconteceu na apresentação do reality show "Biggest Deal", em 2017.

Mas estamos a dispersar-nos. O estúdio da Venda do Pinheiro, agora transformado no lar do programa "Cristina ComVida", foi o local escolhido para a apresentação à imprensa/visionamento do primeiro episódio da nova novela da estação.

"Festa é Festa". Dos caixões na vertical ao Sôtor, contamos-lhe o bom, o mau e o assim assim
"Festa é Festa". Dos caixões na vertical ao Sôtor, contamos-lhe o bom, o mau e o assim assim
Ver artigo

E, à semelhança das saudosas festas de verão da TVI, estava lá toda a gente. E, não fosse o teste à COVID-19 que toda a gente que ali se encontrava teve de fazer antes de passar pela porta, parecia mesmo que estávamos noutros tempos, em que o convívio não era visto como uma atividade radical e de alto risco.

Não queremos parecer parolos, mas vamos ser e não temos problemas com isso. A casa de Cristina Ferreira é mais bonita ao vivo do que na televisão. E, embora seja uma casa para telespectador ver, tudo o que ali está, dos sofás fofinhos à cama XL (onde, a determinado momento, Rodrigo Paganelli e Inês Herédia se enfiaram, ouvindo-se um sonoro e divertido "que porquedo é este?!" da dona da casa), dá vontade de, em ninguém vendo, deixar que toda a gente saia e ficar por ali a pernoitar.

Mas voltemos à "Festa".

Estas coisas de apresentações de novelas têm muito que se lhe diga. Afinal, estamos a falar de pessoas que trabalham umas com as outras e não de amigalhaços que estão ali a passar um bocado. Não têm de ser amigos, tal como nós não somos amigos de todos os nossos colegas. Mas há coisas que não se fingem e não se ensaiam. E o ambiente de camaradagem desta equipa, meus senhores, não dá para representar, por muito bom que seja o elenco.

Festa é Festa - apresentação
Beatriz Barosa, Francisca Cerqueira Gomes, Ana Marta Contente e Beatriz Costa créditos: TVI

Dos mais jovens aos mais seniores, dos mais reservados aos mais pândegos (destaque sem reservas para Rodrigo Paganelli e Hélder Agapito, os reis desta festa), não se via ali ninguém excluído ou à margem. Parecia que, de repente, estávamos de visita à casa de uma enorme família, que se juntou para uma churrascada de fim de tarde (porque até bar no jardim havia).

E até Pedro Alves, estreante nestas lides de novelas, estava perfeitamente enturmado. "O início foi um desafio para mim, não estava habituado a estas vidas, tive de me adaptar, mas agora estou a curtir imenso. É muito fixe. Vocês veem como é o grupo de trabalho e acho que isso se vai refletir no resultado", diz o ator e humorista.

O apoio dos colegas, salienta o Bino de "Festa é Festa", foi fundamental neste processo de adaptação à maratona que é a feitura de uma novela. "Foram impecáveis, sempre muito generosos comigo, a explicarem-me tudo e fizeram com que tenha sido muito mais simples. O que mais me surpreendeu neste meio foi a entreajuda", explicou Pedro Alves.

Festa é Festa - apresentação
Cristina Ferreira e Pedro Alves créditos: TVI

Na contagem decrescente para a exibição do primeiro episódio, após o "J8", elenco e responsáveis da TVI desdobram-se em entrevistas para diferentes formatos do canal. Pelo meio, aproveita-se para petiscar, beber um copo e dar dois dedos de conversa. Há catering (coisa rara nestes tempos de pandemia), e só sentimos mesmo falta de algo mais adequado ao espírito da aldeia da Bela Vida. Um caldo verde e umas bifanas até vinham a calhar, mas não se ficou mal com as empadas, os mini hambúrgueres e toda uma panóplia de doces que só vimos de soslaio.

"Isto vai à memória de todos nós", diz Cristina Ferreira

Depois de ter trocado de roupa após a emissão de "Cristina ComVida", a diretora de Entretenimento e Ficção da TVI junta-se ao grupo. É dela a ideia de "Festa é Festa", ou não fosse Cristina uma mulher de uma terra pequena, onde a ausência de festas causou mossa e tristeza.

"Sou de uma aldeia, muito aqui perto. Esta ideia surge, também muito à conta de ter feito o 'Somos Portugal' e percorrido todas as festas do País, de ter noção do impacto que tem uma festa. E não falo só das grandes cidades, como Viana do Castelo. Uma festa de uma aldeia tem muitas implicações nas pessoas que lá vivem, desde o pintar dos muros até à festa em si", começa por dizer a diretora de Entretenimento e Ficção da TVI.

"Nestes últimos tempos, fui ouvindo a maior parte dos meus amigos dizerem 'as saudades que eu tenho de uma festa!'. A tristeza que trazia não haver aqueles dias de festa na aldeia. Quando decidimos que queríamos uma nova novela para a TVI, eu achei que essa seria a oportunidade de nós darmos palco a uma festa que, no fundo, tocasse o País inteiro. Isto vai à memória de todos nós. Mesmo que não viveu as festas da aldeia já foi á terra da avó, do tio, do primo, já sentiu o que isto de uma festa da aldeia", explica Cristina Ferreira.

Em casa de Cristina, não há hierarquias. Cada um senta-se onde há lugar e, no mesmo sofá ou até no tapete da sala, estão novatos e veteranos, diretores e operadores de câmara. E nem o piano da sala ficou sem uso porque Inês Herédia fez questão de lá ir dar um ar da sua graça, cantando, ainda que por breves instantes, o genérico da novela.

A Nelinha de "Festa é Festa" marca a estreia em comédia da atriz. "Há muita cena improvisada e isso está a dar-me um gozo enorme. Nunca saber o que vai acontecer naquele dia. Levas o teu texto sabido, sabes a tua personagem, mas há esse espaço", explica Inês Herédia.

Começa o primeiro episódio de "Festa é Festa", baixam-se as luzes e começa o "bruá", as gargalhadas, as "bocas". Uns, mais introspetivos, como Ana Guiomar, preferem observar em silêncio.

Festa é Festa - apresentação
Ana Guiomar e Pedro Teixeira créditos: TVI

Terminou o episódio. "Parabéns, pá!", grita Pedro Teixeira aos colegas, ainda a recuperar de terem visto, pela primeira vez, a concretização de dois meses de trabalho. Há congratulações, parabéns e o abraço de Nuno Santos, diretor geral da TVI, a Cristina Ferreira. Ou não fosse ela quem pôs esta ideia em marcha.

Voltamos a passar a soleira da porta deste estúdio transformado em casa e assaltam-nos umas saudades de tempos de festa. São 22h30 e, talvez pelo barulho, animação, pelos comes e bebes, parece que fomos sair à noite e só abandonámos às 5 da manhã. Mas também é para isso que serve a ficção em tempos de pandemia. Para nos fazer sonhar.

Veja as fotos da festa de apresentação da novela da TVI.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.