Depois de semanas de promoção na antena da TVI e partilhas nas redes sociais, desde Cristina Ferreira aos atores envolvidos no projeto, "Festa é Festa" estreou-se esta segunda-feira à noite, 26 de abril, na antena da estação de Queluz de Baixo. A novela, que é uma ideia original da própria diretora de Ficção e Entretenimento do canal, e escrita por Roberto Pereira, retrata o quotidiano dos habitantes da aldeia da Bela Vida, no interior de Portugal, e os seus esforços para organizar a grande Festa da Aldeia.

Pedro Teixeira. "Não podemos obrigar ninguém a mudar de canal e a ver a nossa novela"
Pedro Teixeira. "Não podemos obrigar ninguém a mudar de canal e a ver a nossa novela"
Ver artigo

Este é o mote condutor de um projeto assumidamente humorístico, destinado a fazer rir os portugueses. Para isso, conta com nomes fortes da comédia como Pedro Alves e Manuel Marques, que se estreiam em novelas, bem como Ana Guiomar, Sílvia Rizzo e Ana Brito e Cunha, entre muitos outros, e nomes sonantes como Maria do Céu Guerra e Vítor Norte. Pedro Teixeira, um dos atores mais consagrados da estação, é um dos protagonistas, sendo esta uma das suas primeiras experiências numa personagem cómica, mas a novela conta também com caras da nova geração, como Beatriz Barosa, Rodrigo Paganelli e a estreante Francisca Cerqueira Gomes.

Ainda antes da estreia, os envolvidos no projeto falavam de uma novela diferente, que iria surpreender os portugueses. Com tudo o que isso tem de bom e mau, confirmamos — "Festa é Festa" é mesmo diferente. A MAGG esteve atenta ao primeiro episódio, que passámos à lupa para lhe contar tudo: o bom, o mau e o assim assim.

O BOM

O Bino de Pedro Alves é o presidente da junta que ninguém quer — mas faz-nos rir

Pedro Alves interpreta Bino, o presidente da junta de freguesia da aldeia da Bela Vida que claramente foi ao engano ao cargo. É casado com Florinda, que trabalha na casa de Corcovada, a rica lá do sítio, e parece estar sempre com um olho na herança de idosa. Maldisposto, sem paciência para os habitantes e interesseiro — ou não fosse querer vender terrenos seus à própria junta por valores sobrevalorizados —, é o tipo de homem que considera enterrar caixões na vertical para poupar espaço no cemitério.

O ator encarna na perfeição o papel do presidente da junta corrupto, mas de forma fofinha, vá, e faz-nos rir em quase todas as suas interações. Principalmente quando sugere a Tomé (Pedro Teixeira) que tivesse organizado a festa do ano anterior por Zoom.

O melhor da novela são os bonecos

O momento passado na loja da aldeia, em que o carteiro Paulo, interpretado por Hélder Agapito, entrega cartas que não lhes são destinadas a Tomé e ao seu ajudante António (Luís Simões) apenas porque têm a mesma inicial que os destinatários fez-nos soltar uma gargalhada. Principalmente porque, quando lhe é apontado o erro, Paulo fica indignado por ter de levar as cartas para trás.

Tanto esta cena como a do consultório, com Inês Herédia a fazer conversa com as pacientes enquanto muda de assunto em milésimos de segundo, ou Ana Guiomar a tentar resistir ao Sôtor José Carlos Pereira — #nemimagina —, fazem antever que o melhor desta novela serão mesmo os bonecos construídos pelos atores, que dão tudo para nos levar para a realidade da Bela Vida.

Serão suficientes para prender telespetadores ao ecrã tal como as tramas de romance, crime e traição da maioria das novelas? Não sabemos, mas pelo menos é refrescante.

A Bela Vida leva-nos para uma vida mais simples — mas que é muito atual para quem a vive

Quem vive nas grandes cidades pode olhar para o quotidiano vivido numa aldeia, que é retratado nas novelas, como um exagero. Como é que é possível que todos se conheçam, saibam todos da vida um dos outros, exista só um restaurante e que a ideia de vida social seja sempre ligada à igreja?

Festa é Festa - primeiro episódio
Pedro Teixeira e Inês Herédia fazem parte do elenco. créditos: TVI

Mas o que é um "exagero" para muitos, é também a realidade de outros tantos, mas nem sempre retratada de forma fiel nas novelas que estamos habituados a ver. Já estamos todos fartos de ver a vida na aldeia ser tacanha, com miúdas pastoras apaixonadas por rapazes citadinos e as cuscas das beatas.

"Festa é Festa" é diferente por isso: mostra-nos a vida da aldeia, sim, mas não nesse retrato já datado. Mostra-nos gente jovem que se queixa da internet fraca, mas que quer fazer festivais de verão. Mostra-nos o padre da aldeia, mas que se preocupa com a corrupção do presidente da junta. E claro que já estamos ali a antever romance entre o simples rapaz que entrega leite e a beta que vem da cidade a queixar-se de não ter rede, mas o que seria da nossa vida sem amor e sem a realização que podemos ser felizes com menos, não é verdade?

O MAU

Brincar com a maneira como os emigrantes falam é uma coisa. Exagerar é outra

Durante o primeiro episódio de "Festa é Festa", somos também apresentados ao casal São e Fernando, interpretados por Sílvia Rizzo e Manuel Marques, respetivamente. Vivem emigrados em Paris e preparam-se para regressar à Bela Vida para a festa da aldeia — e provavelmente para algo mais, mas isso ainda não sabemos.

Como bons emigrantes a viver em França há vários anos, São e Fernando já misturam muito os dois idiomas, algo comum à população emigrante. Mas se um ou outro "ça va bien, está tudo ok" passa e até pode ser engraçado, levar essa lógica ao extremo com cinco minutos de overacting da parte dos atores, já é outra coisa e não tem assim tanta graça.

Festa é Festa - primeiro episódio
Sílvia Rizzo interpreta São. créditos: TVI

Vamos mesmo acreditar que Pedro Teixeira e Ana Guiomar têm uma filha daquela idade?

Ora bem: apesar de ainda não ter sido revelado na novela, já sabemos que Betinha (Ana Marta Contente), a secretária de Bino que está a fazer de tudo para seduzir o presidente da junta, é na verdade filha de Tomé e Aida, a.k.a, Pedro Teixeira e Ana Guiomar.

Portanto, Ana Marta Contente, que interpreta Betinha, tem 21 anos na realidade — e assim os aparenta na ficção, dado que já trabalha como secretária na junta. E se até podemos encaixar esta ser filha de Pedro Teixeira (que tem 40 na realidade, mas também aparenta ser muito mais jovem), vamos mesmo acreditar que alguém com a aparência de Ana Guiomar (com 32) já tem uma filha daquele tamanho? Nem os vestidos mais clássicos fazem envelhecer a atriz, que quanto muito passa pela tia mais velha.

O ASSIM ASSIM

"Festa é Festa" pode ser uma pérola. Mas será que funciona em novela?

O primeiro episódio da nova aposta da TVI foi refrescante e conseguiu cativar. Nos dados provisórios (sem gravações), "Festa é Festa" foi o programa mais visto do dia, com 1,26 milhões de telespectadores e 25,4% de share, deixando para trás o episódio especial de "Amor Amor" (1,28 milhões e 13,6% de share). 

No entanto, toda a novela prende-se ao gancho de realizar a festa de aldeia, algo que pode ser um ângulo muito fechado para um projeto mais longo, tal como são estes formatos.

Festa é Festa
O elenco junta nomes consagrados com caras da nova geração. créditos: TVI

Ao olhar para este projeto, sentimos que talvez fosse uma aposta mais certeira tê-lo feito no formato de série, em que todos os episódios tinham uma trama individual, iniciada e resolvida a cada episódio, com a história paralela da festa da aldeia.

Olhamos para esta novela e pensamos se não funcionaria melhor numa lógica mais próxima de "Bem-Vindos a Beirais", a série de sucesso da RTP. E não é à toa que sentimos aqui uma vibe da produção do canal do estado: Roberto Pereira, escritor de "Festa é Festa", é também um dos autores da série da RTP.

Não sabemos se a longevidade da novela vai ser benéfica para este projeto, mas o primeiro objetivo está cumprido. Tal como muitos avisaram, fez-nos rir.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.