De avião, de barco e até nos sonhos. Há várias formas de ir até Cabo Verde, mas para que não se fique pela última opção, decidimos ir à procura dos lugares mais encantadores no país que ainda tem muito por descobrir. Não acredita? Encontrámos um hotel de luxo sem os ter à vista, camas de rede para relaxar com vista para o mar e aventuras nas águas transparentes ou a bordo de um jipe.

Uma vez que Cabo Verde tem como meta receber 1,2 milhões de turistas por ano até 2026, pode contribuir para esse número já em 2021 e escolher como quer ir e o que visitar. Em breve será possível chegar ao país num navio de cruzeiro e atracar no terminal de São Vicente: só é preciso que as obras, iniciadas em março deste ano, estejam concluídas.

12 países em 80 dias: guarde na agenda a sua próxima grande viagem
12 países em 80 dias: guarde na agenda a sua próxima grande viagem
Ver artigo

Até lá, há mais oito portos até onde vão outros cruzeiros, como é o caso da rota da empresa Costa Cruzeiros que começa em Génova e dá a volta ao mundo em 59 dias, passando pelo arquipélago africano (9.179€ por pessoa).

Se preferir trocar o mar pelo espaço aéreo, o custo das viagens em junho, por exemplo, custam a partir de 692€ com partida em Lisboa, segundo a simulação feita na plataforma Google Flights. Se se sentir mais confiante em ir através de uma agência de viagens, a Abreu tem pacotes a partir de 463€ para a ilha do Sal e a agência TopAtlântico sugere uma visita a Santa Maria, também na ilha do Sal, a partir de 398€.

Contudo, antes de ir, convém reservar o local onde vai ficar e é por este ponto que vamos começar. Pronto para planear as férias?

Onde ficar?

Barefoot Luxury - Cabo Verde

É incontornável falar de Cabo Verde e não falar deste hotel de luxo. O Barefoot Luxury - Cabo Verde é composto por 36 villas luxosas em São Vicente, mas o luxo quase não é percetível. A simplicidade da decoração e das estruturas naturais que fazem com que o hotel fique camuflado na natureza leva o conceito a outro patamar, mais relacionado com os espaços amplos de cada villa e a brutalidade da vista para o oceano Atlântico que entra sem pedir permissão. Melhor do que explicar, é ver.

Localização: Unnamed Road, Mindelo, Kaapverdië, Cabo Verde
Reservas: stef@barefootluxury.world
Preço: sob consulta

La Fora Ecolodge

Como o nome indica, este hotel tem um foco principal: sustentabilidade. Aqui vive-se tranquilidade não só pela sensação de alívio ao não prejudicar o planeta, como pela possibilidade de respirar o ar puro que o La Fora Ecolodge, localizado no meio da natureza na ilha do Fogo, proporciona. A estadia faz-se nos bungalows com vista para o oceano Atlântico e para o icónico vulcão, e a fome resolve-se à mesa do La Fora Ecolodge Bar, Lounge & Restaurant, com vista 180º (embora todos os olhos fiquem postos nos pratos assim que começam a ser servidos os peixes frescos ou os cocktails de assinatura do hotel).

Depois desta descrição que antevê umas férias fantásticas junto às praias de areia preta que banham o La Fora Ecolodge, não vai acreditar no preço: uma noite custa menos de 100€. Isso mesmo.

Localização: Cerrado Sul CP 87, 8220 São Filipe, Cabo Verde
Reservas: Booking 
Preço: uma noite para duas pessoas em junho, por exemplo, custa a partir de 89€, com pequeno-almoço

Kasa D'igreja

Já que vai para Cabo Verde, arquipélago africano rico em cultura e natureza, porque não envolver-se nesta última numa casa que quase é engolida pela fauna e flora? Fica em Chã de Igreja, uma aldeia no município de Ribeira Grande, e está entre o oceano e a ribeira cabo-verdiana Ribeira de Garça. Depois de o corpo receber vitamina D junto à piscina, o descanso é feito numa cama de rede ou na tenda com vista para o mar ou para a natureza. Quanto ao pequeno-almoço, são servidos pães, iogurtes e sumo de laranja, e ainda queijo fresco com composta — prova de que a simplicidade é quanto basta para aqui ficar.

Localização: Chã de Igreja, Ribeira Grande, ilha de Santo Antão, Cabo Verde
Reservas: plataforma Airbnb
Preço: uma noite para duas pessoas custa a partir de 45€ (mínimo de duas noites)

O que comer?

Caldeira Preta
Caldeira Preta créditos: facebook

A gastronomia é já conhecida: o peixe fresco que vem da costa e os pratos típicos com sabores africanos. Um deles é a cachupa, um prato obrigatório para quem visita Cabo Verde. Além deste, também não pode ir embora sem provar a lagosta suada e o xarém, um género de papa feita à base de farinha de milho, habitualmente acompanhada de galinha (outro ingrediente muito usado na cozinha cabo-verdiana).

Incontornáveis são também as sobremesas típicas. Uma delas é o cuscuz com mel de cana e outra — sempre apetecível já que o calor e a humidade de Cabo Verde fazem com pareça sempre verão — e o gelado de manga, feito com a fruta local.

A questão que falta responder é onde comer. Neste ponto sugerimos o marisco do La Villa Beach Garden, em Santa Maria, a cozinha africana do Caldera Preta, em Espargos, ilha do Sal, ou o Cozinha de Bento, na ilha de Santo Antão, e o restaurante do hotel Tienne Del Mar, na mesma ilha, também com comida típica, mas um conceito mais sofisticado.

O que fazer?

Mergulho
Mergulho créditos: pinterest

Chegámos à parte mais difícil de escolher. É que no meio de tantas atividades no mar e em terra que podem ser feitas em Cabo Verde e dias de férias que nunca são suficientes, ficamos em dúvida sobre o que escolher. É por essa mesma razão que deve analisar já estas sugestões e escolher as que não quer perder.

Uma delas é a rota das aldeias rurais de Santo Antão, que percorre aldeias rurais entre montanhas e vegetação tropical, mas existem outros mais ligados à natureza. Há três em destaque entre as sugestões do Turismo de Cabo Verde: circuito "ilhas dos sentidos", que passa nas ilhas do Fogo, Brava, Santo Antão e São Nicolau; o circuito "ilhas de essência", que permite descobrir a Cidade Velha em Santiago, onde nasceu a nação crioula; e o circuito "ilhas do sol", ideal para praticar desportos aquáticos.

Por falar nisso, nas várias ilhas é possível fazer mergulho — uma experiência que se distingue de qualquer outro mergulho pelo facto de as águas límpidas permitirem ver nitidamente peixes tropicais que só aqui se encontram —, surf e ainda kite e o windsurf (as duas últimas idealmente de novembro a maio).

Outras tantas aventuras podem ser encontradas na empresa Barracuda Tours, desde um rally em Santa Maria (76€) até ao passeio de "costa a costa" num jipe 4x4 durante um dia inteiro (46,50€).

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.