As subidas ao arco da Ponte da Arrábida estão de volta ao Porto Bridge Climb. Durante três meses, os percursos até ao alto da ponte com vista privilegiada para o Douro, Porto e Gaia estiveram suspensos, e agora volta a ser possível subir os 262 degraus acompanhado de um guia que mostra os encantos daquele que é um dos edifícios mais icónicos da cidade do Porto.

Além da experiência que é subir a Ponte da Arrábida, com todos os equipamentos de segurança — como dispensadores com álcool gel e luvas de nitrilo, salienta a empresa —, ao fim de semana os percursos são normalmente feitos no período da manhã, o que significa que vai assistir ao sol a revelar-se entre as nuvens.

O percurso começa no sopé do arco da ponte, do lado do Porto, ponto de partida para os visitantes subirem as escadas até ao topo que fica a 65 metros acima do rio Douro, percorrendo apenas metade do arco. A descida é feita pelas mesmas escadas, no lado poente da ponte, regressando ao ponto inicial.

Aos fins de semana, 10h e 11h30 são as únicas horas da manhã disponíveis para reserva, que deve ser efetuada atempadamente e com um mínimo de quatro pessoas, avisa a empresa. Contudo, o Porto Bridge Climb sobe a ponte com turistas também de segunda-feira a sexta-feira, para já, apenas em três horários: às 16h45, 18h15 e 19h45.

O arco pode ser visitado desde 2016 e o regresso após os meses de paragem é marcado com descontos para quem tem cartão Porto (para munícipes ou estudantes residentes no Município do Porto), lançado pela Câmara Municipal do Porto no início de abril, ou cartão Andante PVC. Ambos dão acesso a 20% de desconto (fica a 14€).

O preço regular das visitas, com duração de 40 minutos, é de 16€ para grupos com cinco ou mais pessoas e de 17,50€ para grupos de uma a quatro pessoas. Pode fazer a reserva do bilhete no site da Porto Bridge Climb, por telefone (929 207 117) ou e-mail (info@portobridgeclimb.com).

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.