Em Florença, os impactos do turismo têm-se feito sentir da pior maneira – as ruas estão cada vez mais cheias, e têm cada vez mais lixo. Por isso mesmo, desde 4 de setembro é proibido "acampar" (para comer) nas ruas da cidade italiana.

A medida aprovada pelo presidente da câmara vigora (pelo menos) até 6 de janeiro, e até lá, quem for apanhado a comer na calçada, ou à porta dos estabelecimentos do centro histórico da cidade, arrisca-se a ter de pagar uma multa que pode ir dos 150 aos 500 euros.

Grom. A nova gelataria italiana chega a Lisboa e traz gelados naturais e orgânicos
Grom. A nova gelataria italiana chega a Lisboa e traz gelados naturais e orgânicos
Ver artigo

A proibição vigora em dois períodos do dia (entre as 12 e as 15 horas e entre as 18 e as 22 horas) e só no centro histórico, nas ruas mais próximas das galerias Uffizi e do palácio Vecchio, como é o caso da Via de' Neri.

É lá que se encontram dois dos spots mais populares da cidade – o All' Antico Vinaio e a Gelateria dei Neri – e nenhum dos dois tem lugares sentados suficientes para a quantidade de turistas que recebe diariamente. Por isso, há muita gente que acaba a comer na rua – é aí que entra a nova medida, "contra os que comem e acampam na rua e nas calçadas da Via de' Neri, no coração de Florença, património da Unesco", conforme se pode ler no comunicado que Dario Nardella, o presidente da câmara, fez na sua página de Facebook.

No mesmo comunicado, explicou que a medida não é um castigo, mas apenas um impedimento concreto, com um propósito: o de acabar com o lixo na rua. Mas a preocupação com o impacto negativo do turismo não é de agora. Em 2017, a câmara chegou a instalar mangueiras junto de alguns dos sítios mais emblemáticos da cidade, para que os pavimentos fossem regularmente lavados (e molhados) e ninguém lá parasse para comer. 

Em relação à nova medida, deverá ser afixado um aviso à porta dos estabelecimentos nas ruas abrangidas (em italiano e em inglês) para que ninguém seja apanhado de surpresa. Segundo o "The Telegraph", o dono do All' Antico Vinaio terá dito ao jornal "La Repubblica" que essa não vai ser a única ajuda para os turistas. "Vamos distribuir mapas aos nossos clientes para que saibam onde podem comer sem apanhar uma multa."

Newsletter

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.