Depois de um fim de semana de Páscoa a começar mais cedo com feriado à sexta-feira, seguimos com mais um fim de semana, desta vez a estender-se por segunda-feira. Isto porque celebra-se o 25 de Abril, dia em que pode aproveitar o facto de estar livre do trabalho, assim como as crianças da escola, para um passeio em família.

Não precisa de dormir fora, só de pegar no carro ou projetar a viagem de comboio para chegar ao destino mais próximo do local onde se encontra. Tomámos como ponto de partida as cidades das duas áreas metropolitanas de Portugal, Porto e Lisboa, e fomos à procura de locais para passear, sem que isso implique ter de fazer grandes viagens para lá chegar.

5 coisas que tem mesmo de fazer na Madeira — e a primeira é marcar uma viagem barata
5 coisas que tem mesmo de fazer na Madeira — e a primeira é marcar uma viagem barata
Ver artigo

A partir do Porto, pode ir até à Covilhã, e desde Lisboa o caminho mais curto de que vamos falar é para Óbidos. Seja qual for o modo como prefira deslocar-se, na chegada está garantido um passeio para descobrir desde o mais tradicional de cada vila ou cidade ao mais irreverente (como espreitar pela Janela 121).

Perto do Porto

1. Covilhã

Covão dos Conchos
Covão dos Conchos

Já ouviu falar no Covão dos Conchos? Fica na Covilhã e é uma das principais atrações da cidade desde que foi gravado para uma série de filmes. Trata-se de um misterioso funil com 1.519 metros de comprimento por onde caem as águas da ribeira das Naves, levadas pelo mesmo canal para a Lagoa Comprida. Para lá chegar, tem de percorrer a pé cerca de cinco quilómetros "numa estrada que parte da Lagoa Comprida", informa o município.

Também numa visita à Covilhã deve explorar o Jardim Botânico de Montanha, inserido no Parque Alexandre Aibéo — com percursos pedonais que servem de montra às mais de 90 espécies diferentes de árvores, plantas e arbustos —, o miradouro da Varanda dos Carqueijais, com vista privilegiada sobre a Covilhã e a Cova da Beira, e ainda o Museu do Queijo, a perdição dos que nunca resistem a um queijo Serra da Estrela e que neste museu em Peraboa é explicado ao pormenor: desde a fauna e flora da região que influencia o sabor antes de ganhar forma até ao momento em que chega já pronto à sala da degustação.

2. Amarante

Doces Conventuais de Amarante
Doces Conventuais de Amarante créditos: facebook

Gulosos, este destino é para vocês e explicamos já porquê. Amarante é uma cidade que mistura a brisa da margem do rio com a doçura dos doces conventuais que caracterizam o município. São eles as lérias, os foguetes, os papos de anjo e as brisas do Tâmega, receitas que foram passadas para uma família de Amarante após o declínio do mosteiro de Santa Clara.

Pode prová-los nas pastelarias da cidade ou num evento que, infelizmente, não acontece no fim de semana prolongado, mas pode já guardar na agenda para o próximo mês: é a 16° Feira de Doces Conventuais de Amarante, que vai decorrer de 13 a 15 de maio.

Sendo São Gonçalo o padroeiro de Amarante, o santo está um pouco por toda a parte, desde, mais uma vez, a doçaria, nos chamados São Gonçalos, à Ponte de São Gonçalo e Igreja de São Gonçalo, erguida em 1540 a mando de D. João III.

3. Guimarães 

Palácio Vila Flor
Palácio Vila Flor créditos: visitguimaraes

Que outras razões existem para visitar Guimarães além da sua importância histórica? Muitas e enumeramos uma primeira que não acontece todo o ano: é o Mercado Alternativo do RUA (MAR), que vai decorrer de 22 a 24 de abril, mesmo a tempo do fim de semana prolongado para que possa explorar gratuitamente as aulas de ioga, os concertos ao vivo, dançar ao som do Dj, apreciar a arte urbana e o artesanato local e ainda matar a fome com a street food.

Fora o evento, dedique os outros dias da escapadinha a percorrer 11 pontos de interesse na cidade através do Guimarães Pass, que dá acesso a espaços como o Museu da Cultura Castreja, o Palácio Vila Flor e ao Percurso Museológico no Convento de Santo António dos Capuchos. Tem validade de quatro dias e custa desde 10€. Pode comprar online.

Perto de Lisboa

1. Vila Nova da Barquinha

Castelo de Almourol
Castelo de Almourol créditos: cm-vnbarquinha

Descemos no mapa e já estamos mais próximos de Lisboa. A uma distância de 134 quilómetros (pouco mais de 1h30 de carro) de Lisboa, fica a ilhota que alberga o Castelo de Almourol, no concelho de Vila Nova da Barquinha, classificado como Monumento Nacional desde 1910. O castelo é um momento emblemático da reconquista cristã e da passagem dos Templários em Portugal, que além da beleza própria, complementa-a com a paisagem sobre o rio Tejo.

Também em Vila Nova da Barquinha pode (e deve) fazer o trilho panorâmico do Tejo, de nível e vistas fáceis de percorrer, dado que ao caminhar logo saltará à vista o fluviário foz do Zêzere e o parque de escultura contemporânea Almourol. Para algo mais aventureiro, pode fazer canoagem, pára-quedismo, saltos Tandem ou balonismo.

2. Óbidos

Janela 121
Janela 121 créditos: turismo.obidos.pt

Tire da cabeça a ideia de que Óbidos (a cerca de 1h10 de Lisboa) é só para visitar no Natal ou na altura da feira do chocolate. Em vez do cheiro a chocolate quente, em abril o que conquista o olfato é a caldeirada de peixe da Lagoa de Óbidos ou a famosa Ginjinha de Óbidos. Fora o que é mais conhecido, a vila esconde alguns segredos que pode descobrir através de atividades promovidas pelo posto de turismo.

Um dos segredos está escondido na Janela 121, onde tudo pode acontecer: "Pode beber algo tradicional, mas que nunca se bebeu dentro do castelo, pode beber algo feito por alguém que é dos melhores do mundo na sua arte. Pode ouvir uma estória de alguém único de Óbidos, ou sobre alguém único de Óbidos".

A descrição parece um enigma, tal como os que encontrará na escape tower & lovemade projects. Para descontrair após as atividades, embarque noutra, desta vez para comer. Falamos do workshop com degustação de banana flambeada com licores e sumos naturais.

3. Tomar

Doçaria Estrelas de Tomar
Doçaria Estrelas de Tomar - Beijinho créditos: instagram

Tomar fica a pouco mais de 1h30 de Lisboa e a centenas de anos de distância da construção do Castelo Templário, que integra o célebre Convento de Cristo, à volta do qual a cidade se desenvolveu, mas que ainda está de boa saúde e pode ser visitado.

A história coexiste com a modernidade, sendo que uma parte dela faz parte dos eventos que vão estar a decorrer durante o fim de semana que apanha o 25 de abril. Enquanto se espera que a Festa dos Tabuleiros volte em 2023 (é realizada de quatro em quatro anos), é possível visitar o “Rio dos Tabuleiros”, de Gil Cruz, exposição de pintura que vai decorrer de 22 de abril a 29 de maio na Casa Vieira Guimarães.

Do interior para a rua, a arte salta para A Feira, espetáculo de artes de rua inspirado nas festas e romarias e nas histórias dos tomarenses. Vai realizar-se a a 23 de abril às 21h na Praça da República. Os mais gulosos, podem passar antes por uma pastelaria aderente do evento De Tomar e dos Conventos – Doçaria Tomarense, que de 1 a 30 de abril põe à prova as tradicionais cornucópias, beijinhos de Tomar e entre outros doces conventuais.

Para facilitar esta e outras descobertas, recorra à aplicação Descubra, que mostra o melhor de Tomar e de outros concelhos do Médio Tejo.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.