O rei emérito Juan Carlos anunciou numa carta enviada ao filho, rei Filipe VI, conhecida esta segunda-feira, 3 de agosto, a intenção de sair de Espanha. O rei escolheu o Estoril, concelho de Cascais, para passar os dias de exílio, conforme é avançado pela TVI 24. Sabe-se, no entanto, que Juan Carlos terá viajado, durante o fim de semana, para Sanxenxo, em Pontevedra, na Galiza, de onde seguiu para a cidade portuguesa do Porto e não ficou por aí. O rei emérito estará agora na República Dominicana, de acordo com o jornal ABC.

Na carta em que é anunciada a saída, publicada na ABC, o rei refere como causa a “repercussão pública” dos mais recentes escândalos pessoais e fiscais nos quais está envolvido, nomeadamente a criação de uma empresa "offshore" através de uma doação de 65 milhões de euros da Arábia Saudita.
Juan Carlos já tinha decidido afastar-se da vida pública em 2019, mas agora sai mesmo do território onde assumiu o cargo como chefe de Estado espanhol durante quatro décadas (desde novembro de 1975 até à sua abdicação, a favor do filho, em junho de 2014).

William e Harry acusados de transações ilegais para instituições de caridade
William e Harry acusados de transações ilegais para instituições de caridade
Ver artigo

“Com a mesma avidez de serviço a Espanha que inspirou o meu reinado e perante a repercussão pública que estão a gerar certos acontecimentos passados da minha vida privada, desejo manifestar-te a minha mais absoluta disponibilidade para contribuir para que se torne mais fácil o exercício das tuas funções, na perspetiva de sossego e tranquilidade que a tua alta responsabilidade requer”, escreve o rei Juan Carlos a Filipe VI na carta.

Perante o anuncio do rei emérito, a Casa Real Espanhola reagiu através do rei Filipe VI que destaca em comunicado “a importância que representa o reinado do seu pai, como legado e obra política e institucional de serviço a Espanha e à democracia”. O governo espanhol também já reagiu, pela voz de Pedro Sánchez, chefe do governo espanhol: “Respeito as decisões comunicadas pela Casa Real e reconheço o exemplo e a transparência que sempre guiaram o Rei Felipe VI”.

Durante o franquismo, a família real espanhola esteve também exilada em Cascais, período durante o qual Juan Carlos matou acidentalmente o irmão mais novo, Alfonso, de apenas 14 anos, com um disparo. É, ao mesmo tempo, o regresso de Don Juan Carlos às origens, uma vez que o rei emérito mudou-se para o Estoril com apenas oito anos e lá viveu toda a infância e juventude.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.