O presidente brasileiro Jair Bolsonaro saiu numa lancha em direção à Praia Grande, no estado de São Paulo, no primeiro dia do ano e decidiu mergulhar e nadar junto dos banhistas que se encontravam na costa, provocando um grande ajuntamento.

O momento foi gravado por várias pessoas e partilhado nas redes sociais, gerando uma onda de indignação pelo facto de o presidente, que já esteve infetado com COVID-19, continuar a ignorar as restrições e medidas de proteção contra a COVID-19. 

"Praia Grande tem fama de ser poluído, mas não é por isso que tá liberado jogar o Bolsonaro ali . Respeitem a natureza", diz o jornalista brasileiro Guga Noblat no Twitter. Também a atriz Antonia Fontenelle usou a ironia para criticar o presidente na rede social. "O mix de sentimentos que esse vídeo provoca em mim", começa por referir e diz numa das enumerações: "Se eu fosse a primeira Dama amarraria você no pé da cama, haja coração. E por último: SIMBORA PRA 2022".

15 perguntas e respostas para saber tudo sobre a vacina da COVID-19
15 perguntas e respostas para saber tudo sobre a vacina da COVID-19
Ver artigo

Os vídeos mostram Jair Bolsonaro sem máscara, medida obrigatória no Brasil, e sem cumprir o distanciamento social relativamente a quem o acompanhava na lancha — cuidados que também não foram cumpridos quando centenas de pessoas que estavam na Praia Grande decidiram aproximar-se do presidente, em euforia, criando um grande ajuntamento.

Depois de nadar para junto dos banhistas, o presidente brasileiro voltou à lancha a nado e enquanto esta se distanciava, Bolsonaro acenava em jeito de despedida.

Veja o vídeo do momento

De acordo com os últimos dados revelados pelo Ministério da Saúde brasileiro, o Brasil somou este sábado, 2 de janeiro, 15.827 novos casos e 314 mortes por COVID-19. O país tem agora um total 7.716.405 casos de COVID-19 registados e 195.725 mortes.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.