Há histórias da vida real que mais parecem saídas da ficção e esta tem parecenças assustadoras com a série "White Lotus". Um homem norte-americano de 38 anos está a ser acusado de ter matado a mulher durante a lua de mel, no dia 9 de julho. O casal deu o nó em fevereiro, mas decidiu marcar a viagem apenas para julho. Dois dias depois da chegada ao resort, a mulher apareceu morta no quarto do luxuoso hotel nas ilhas Yasawa, refere o “Daily Mail”.

Cantor que atuou no Afro Nation, em Portimão, encontrado morto em quarto de hotel
Cantor que atuou no Afro Nation, em Portimão, encontrado morto em quarto de hotel
Ver artigo

O corpo de Christe Chen foi encontrado na banheira do quarto por um dos empregados. O corpo apresentava vários ferimentos graves. O alegado assassino, Dawson, afirma que a morte da mulher foi um acidente. O advogado de Chen já confirmou que se Dawson não for condenado pela morte de Chen, a família vai processar Turtle Island Resort.

“A família seguirá com todos os procedimentos para garantir que a justiça é feita para Christe, por causa de todos os ferimentos horríveis que sofreu”, salientou o advogado Ronald Gordon. O representante legal da família da vítima revelou ainda ao "Daily Mail" que o corpo de Christe teve de ser cremado nas ilhas Fiji porque tinha sofrido ferimentos demasiado graves para ser transportado de volta para os EUA.

O corpo da mulher foi encontrado no quarto por um dos funcionários do hotel. Depois das autoridades serem informadas da situação começaram a procurar Dawson, que foi encontrado no outro lado da ilha. O alegado assassino estava a dois quilómetros do resort.

Um local informou a polícia que Dawson lhe contou que teve uma discussão com a mulher e foi andar de caiaque por volta das 2h. De sublinhar que o alegado assassino apenas foi encontrado com a carteira e o passaporte, deixando o relógio (com GPS) e o telefone no hotel.

A mesma fonte disse que lhe ofereceu água e comida, porque Dawson estava com um aspeto perturbado. Assim que aceitou a oferta disse “por favor, eu preciso chamar a polícia”. “Ele não disse que tinha matado a mulher, mas eu ainda podia sentir o cheiro de álcool. Ele continuou a repetir ‘nós brigamos’ e não começou nem terminou essa história”, disse a fonte à polícia.

Neste momento, Dawson está sob custódia das ilhas Fiji e a próxima audiência no tribunal está marcada para 18 de agosto. De acordo com o canal de notícias WREG, o homem está preso sem direito a fiança e há a possibilidade de ficar em prisão perpétua caso seja considerado culpado.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.