O fenómeno avistado no céu conhecido popularmente como "Estrela de Belém", que acontece quando há o alinhamento de dois objetos celestes, criando a ilusão de um planeta duplo, vai ser visível na noite de 21 de dezembro, quando Júpiter e Saturno se posicionarem muito perto um do outro, avança a NASA. Há 800 anos que não se conseguia avistar esta "estrela".

Astronautas da NASA leem histórias aos miúdos a partir do espaço
Astronautas da NASA leem histórias aos miúdos a partir do espaço
Ver artigo

A 3 de dezembro, a agência espacial norte-americana deu conta da notícia através de uma publicação no Twitter, que gerou centenas de partilhas e comentários. Neste caso, e dado que o fenómeno envolve dois dos maiores planetas conhecidos da nossa galáxia, o evento é designado de grande conjunção. Júpiter e Saturno estarão separados por menos de um terço da largura da lua, mas continuarão separados por 450 milhões de milhas no espaço, escreve o "Correio da Manhã".

A designação "Estrela de Belém" foi dada pelo astrónomo alemão Johannes Kepler, em 1614, mas todos nos recordamos da lenda que conta que foi este fenómeno a conduzir os Reis Magos na noite de Natal — embora aqui se fale de uma conjugação tripla, também com Vénus. Júpiter e Saturno ficam alinhados uma vez a cada duas décadas, uma vez que Júpiter leva aproximadamente 12 anos a dar uma volta ao sol, contra os 30 anos de Saturno.

Segundo astrónomos norte-americanos, o fenómeno vai ser visível a olho nu, sem que sejam necessários equipamentos específicos ou sofisticados, escreve o "The Washigton Post". Se falhar a noite de 21 de dezembro, tem de esperar até 2080 para ver a "Estrela de Belém" novamente.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.