Com o objetivo de voltar a potenciar o turismo no país após a pandemia, o Japão prepara-se agora para criar um plano especial que possa financiar uma parte das despesas de viagem do turistas. O anúncio foi feito esta segunda-feira, 25 de maio, numa altura em que o Japão revelou que o turismo no país caiu em 99,9% desde o início de abril — em grande parte, motivado pelo fecho de fronteiras a países como os Estados Unidos, a China, a Coreia do Sul e quase toda a Europa na tentativa de controlar o surto.

"O governo está a planear potenciar o turismo doméstico ao financiar uma parte das despesas referentes às viagens até ao Japão assim que o surto do novo coronavírus começar a ser controlado", anunciou um dos responsáveis do departamento de turismo do país, Hiroshi Tabata, citado pelo jornal "Japan Times".

No Japão foi criada uma lei que proíbe as pessoas de comerem enquanto andam na rua
No Japão foi criada uma lei que proíbe as pessoas de comerem enquanto andam na rua
Ver artigo

Este novo programa, que deverá envolver um total de 12 mil milhões de dólares, deverá começar a ser aplicado já no início de julho se, à semelhança do que tem acontecido até agora, os casos de infeção por COVID-19 continuarem a decrescer.

Apesar do anúncio, não se sabe exatamente de que forma é que o plano irá ser aplicado, que tipo de despesas vai englobar e se todas as viagens, das várias partes do mundo, são elegíveis para o plano.

À data da publicação deste artigo, o Japão regista já 16.550 casos de infeção e 820 mortes pelo novo coronavírus.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.