Charlie Watts, baterista dos Rolling Stones, morreu aos 80 anos. A notícia foi dada esta terça-feira, 24 de agosto, pelo seu representante à imprensa.

A notícia da morte surge no mesmo mês em que se soube que o músico não iria estar presente na digressão que o grupo, no início da pandemia, foi obrigado a adiar. No início de agosto, um porta-voz dos Rolling Stones fez saber que Watts precisaria de "descansar e recuperar" depois de ter sido submetido a um procedimento médico cujos detalhes são, até hoje, desconhecidos.

Vem aí um novo documentário dos Beatles — e este é realizado por Peter Jackson
Vem aí um novo documentário dos Beatles — e este é realizado por Peter Jackson
Ver artigo

"Por uma vez na minha vida, estou fora de tempo. Estou a trabalhar para ficar totalmente saudável, mas isso levará algum tempo", pôde ler-se no comunicado oficial enviado na altura pelo baterista.

"Não quero que os fãs dos Rolling Stones fiquem desiludidos com mais um adiamento ou cancelamento, depois de todo o sofrimento provocado pela COVID-19", continua. Nesta digressão, Steve Jordan foi o escolhido pelo grupo, e pelo próprio Watts, para o substituir.

O regresso da banda aos palcos está marcado para 26 de setembro nos EUA.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.