E, no último dia de provas da modalidade, a mais medalhada ginasta norte-americana reapareceu. Depois de ter renunciado a várias provas para se dedicar a cuidar da sua saúde mental, Simone Biles reapareceu na competição olímpica.

Simone Biles disputou a final da trave esta manhã de terça-feira, 3 de agosto, e acabou por conquistar a sua única medalha nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O bronze foi para os EUA, ouro e prata para a China. O lugar cimeiro do pódio foi ocupado pela jovem Guan Chenchen, de apenas 16 anos.

Como a atleta Simone Biles desistiu dos Jogos Olímpicos (e abriu o diálogo sobre saúde mental)
Como a atleta Simone Biles desistiu dos Jogos Olímpicos (e abriu o diálogo sobre saúde mental)
Ver artigo

Biles pode sair dos Jogos Olímpicos de Tóquio com apenas duas medalhas (uma de prata, conquistada na final por equipas, e uma de bronze) mas deixa uma marca mais profunda do que qualquer troféu: a de ter trazido para a ordem do dia, naquela que é a mais importante prova mundial, o tema da saúde mental no competitivo meio do desporto de alta performance.

De acordo com o "The New York Times", esta poderá ter sido a última prova de Biles, de 24 anos, como atleta de alta competição.  A 27 de julho, a norte-americana anunciava a retirada da prova coletiva para se focar na sua saúde mental. Quatro dias depois, renunciava também às finais da prova no cavalo e paralelas assimétricas.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.