O médico epidemiologista Anthony Fauci, um dos rostos mais marcantes no combate à pandemia de COVID-19 nos Estados Unidos, que chegou a entrar em conflito aberto com Donald Trump, está de volta à Casa Branca, com a entrada da administração de Joe Biden, e acaba de emitir uma recomendação sobre o uso das máscaras: "Se temos uma proteção física com uma camada, e colocarmos outra camada por cima, é senso comum que será mais eficaz", afirmou o especialista esta segunda-feira, 25 de janeiro, numa entrevista à "NBC News TODAY".

Para Fauci, o uso de duas máscaras pode ser tão eficaz a reforçar a proteção contra o novo coronavírus, como uma máscara N95 (da categoria FFP2). "Trata-se de tapar fisicamente para prevenir gotas e que o vírus entre", disse, acrescentando que é lógico que ao aumentar as camadas, maior será a eficácia da proteção e é essa "a razão pela qual vemos pessoas a usarem as duas máscaras", como aconteceu na tomada de posse do atual presidente dos EUA, Joe Biden, na quarta-feira, 20.

O uso de máscaras pode provocar acne ou eczemas. Saiba como evitá-lo
O uso de máscaras pode provocar acne ou eczemas. Saiba como evitá-lo
Ver artigo

A sugestão surge na sequência da eficácia das máscaras comunitárias ter sido colocada em causa com o surgimento das novas estirpes de COVID-19 que se têm espalhado pelo mundo.

Vários especialistas têm defendido que, neste momento, devem usar-se máscaras FFP2, com capacidade de bloquear 90% das partículas. Mas já surgiram medidas mais drásticas. Em França, Alemanha e Áustria foi proibido o uso de máscaras comunitárias (caseiras, de tecido) na rua como forma de "evitar uma terceira vaga", disse a chanceler alemã Angela Merkel aos jornalistas na última quinta-feira, 21 de janeiro, em Berlim.

Se esta medida também vier a aplicar-se em Portugal, cerca de 15 a 20 mil empregos da indústria têxtil e do vestuário podem estar em risco, de acordo com o presidente da Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP), Mário Jorge Machado, avança o "Diário de Notícias".

No entanto, até ao momento, os Centros de Controlo de Doenças ainda não emitiram nenhuma recomendação oficial quanto ao uso da máscara dupla, mas estudos citados pela "NBC News" revelam que máscaras com multicamadas podem bloquear entre 50% a 70% partículas libertadas.

A ministra da Saúde, Marta Temido, já afirmou que quando surgirem recomendações internacionais, medidas serão tomadas. "Estamos muito atentos e logo que haja alguma informação que coloque alguma necessidade de adaptação, fá-lo-emos", disse esta segunda-feira, 25, numa conferência de imprensa após uma reunião com a taskforce coordenadora do plano de vacinação contra a COVID-19.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.