O cavaleiro tauromáquico João Moura está no centro de uma polémica, depois de ter sido acusado de maus tratos a animais. Dezoito galgos ao seu cuidado foram-lhe retirados, na sequência de uma investigação que decorria desde a segunda quinzena de Janeiro e que foi levada a cabo pelo Serviço de Protecção da Natureza do Ambiente, em conjunto com a Guarda Nacional Republicana. As imagens dos animais foram divulgadas pela GNR, e mostravam o estado grave de subnutrição em que os 18 cães se encontravam. Entretanto, dois dos animais foram entregues aos cuidados de particulares e os outros foram distribuídos por diferentes associações. Um deles não resistiu e morreu na quinta-feira, 20 de fevereiro.

João Moura foi detido pela GNR na quarta-feira, 19 de fevereiro, sob suspeita de maltratar cães, tendo depois saído em liberdade constituído arguido.

Agora, numa publicação de Facebook, feita este sábado, 22 de fevereiro, a Kate and Friends — uma organização sem fins lucrativos, cujo "objetivo é mudar atitudes e comportamentos a fim de defender e proteger '0 Galgo'", focando-se na adoção, na ajuda e regata destes animais, como explica no site — vem dizer que há muito tempo que está a par dos maus tratos levados a cabo por João Moura, afirmando que tem vindo a resgatar animais desta raça aos cuidados do cavaleiro tauromáquico.

"Ficaram chocados com o que o João Moura fez a estes 18 galgos, lamento informar-vos mas há muitos anos que katefriends.com faz 500 km (ida e volta à minha custa) para trazer bebés e adultos completamente anoréxicos deste senhor sempre neste estado", pode ler-se.

Afirma também que poucos sobrevivem, pelo estado grave de anorexia em que se encontram quando são resgatados.  "Na maioria das vezes sobram poucos por terem morrido de fome, porque nem sempre posso largar a minha vida profissional e sair a correr como gostaria. Houve até vezes, na impossibilidade de me deslocar, voluntários trazerem-nos para a katefriends.com para evitar mais mortes."

A associação lembra que existem muitos "Joões Moura". muito graças ao facto de ainda serem permitidas corridas de galgo em Portugal.

"O pior, e parece que ninguém se lembra, é que existem imensos Joões Mouras' no nosso País, tantos que nem imaginam que infelizmente também fiz muitos kms para retirar galgos, tal qual no mesmo estado. Ninguém se lembra que tudo isto se deve apenas, por ainda não terem PROIBIDO as corridas de galgos em Portugal, devido a interesses económicos e políticos relacionados com este lobby, apesar das denúncias", pode ler-se.

"Enquanto o estado Português e todos os cidadãos, não se consciencializarem que esta chacina só vai acabar quando as corridas forem proibidas, nada vai mudar, pois o João Moura até pode ir preso mas os outros continuam a usar e deitar fora os galgos."

Depois de explicar que a associação se dedica há 28 anos ao resgate dos Galgos, deixa um pedido: que se assine uma petição, a "única petição existente em Portugal", para que se proíbam as corridas de galgos, juntamente com "todo este sofrimento." São necessárias 20 mil assinaturas, "para ontem." Até agora, já foi assinada por 14 mil pessoas.

No final, deste post a associação Kate Friends deixa ainda imagens de galgos que ficaram aos seus cuidados. As fotografias são chocantes.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.