A estação de metro de Arroios voltou a abrir esta segunda-feira, 13 de setembro, às 20h, completamente renovada, segundo o "Observador". A estação está encerrada desde 19 de julho de 2017, altura em que o Metro de Lisboa anunciou que a estação ia fechar para "para obras de reabilitação". Durante mais de quatro anos as carruagens de metro saltaram a estação que está agora, finalmente, operacional, marcando assim o fim do aviso "este comboio não para em Arroios".

A estação está mais moderna e ampla, como resultado das obras que tiveram como objetivo ampliar o cais de 70 para 105 metros, de acordo com a Metropolitano de Lisboa numa nota de imprensa a que o mesmo jornal teve acesso. Há ainda três elevadores que ligam a superfície e o cais de embarque a pensar em pessoas de mobilidade reduzida, novos átrios para "embelezamento da estação" e espaços de apoio à exploração reorganizados.

50 fotografias hilariantes tiradas em transportes públicos
50 fotografias hilariantes tiradas em transportes públicos
Ver artigo

Esta era a única estação de Lisboa que não estava apta para receber comboios de seis carruagens, o que limitava a operação da linha verde. Contornar esta limitação era um dos propósitos das obras de reabilitação, que foi corrigido com o alargamento do cais. Veja como está agora a estação.

O ministro do Ambiente e da Acção Climática, João Pedro Matos Fernandes, e o presidente do Conselho de Administração do Metro de Lisboa, Vitor Domingues dos Santos, estiveram presentes na inauguração da estação marcada para as 07h45 desta terça-feira, 14, momento que devia ter acontecido em janeiro de 2019 e acabou adiado devido à rescisão do contrato entre o Metro de Lisboa e o empreiteiro inicial. Um novo concurso foi lançado depois em setembro.

A reabilitação demorada da estação de metro afetou o negócio de vários comerciantes da zona de Arroios — muitos tiveram de fechar, segundo o "Público"—, e perturbou também os moradores da zona que tiveram de recorrer às estações mais próximas: Alameda ou Anjos, ambas a 400 metros a pé da estação de Arroios.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.