Há mais 13 mortes e 2.217 novos casos de infeção em Portugal pelo novo coronavírus. São estes os dados divulgados este domingo, 15 de agosto, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), no novo boletim epidemiológico referente à evolução da crise sanitária no País.

Gouveia e Melo recebido com insultos em Odivelas por manifestantes anti-vacinas
Gouveia e Melo recebido com insultos em Odivelas por manifestantes anti-vacinas
Ver artigo

Portugal ultrapassou este sábado, 14 de agosto, a barreira de um milhão de casos confirmados desde o início da pandemia. Atualmente, o País apresenta o terceiro pior registo da Europa em termos de média de mortes a 14 dias por milhão de habitantes, bem como a sétima pior marca a nível de incidência do vírus, avança o "Jornal de Notícias". Apesar dos dados continuarem a não ser animadores, há registo de que o número de internamentos voltou a baixar.

A marcar a atualidade nacional está também a confirmação de que as cerca de 500 mil vacinas que estão prestes a perder a validade irão seguir para os PALOP e Timor. "Não serão desperdiçadas vacinas nenhumas", garantiu o vice-almirante Gouveia e Melo durante a visita ao Centro de Vacinação de Loures, onde este fim de semana começaram a ser vacinados alguns dos mais de 160 mil jovens de 16 e 17 anos que se inscreveram para serem vacinados contra a COVID-19.

Gouveia e Melo explicou que as cerca de 500 mil vacinas da Astrazeneca que perdem validade em outubro  vão seguir em breve para Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e para Timor-Leste: "Estamos a fazer a doação para que as vacinas sejam úteis a outros povos", tais como Angola, Moçambique, Cabo Verde ou Timor-Leste, lê-se o "Diário de Notícias". 

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.