Entre 2011 e 2020, o número de dádivas e de dadores de sangue tem vindo sempre a diminuir em Portugal. De acordo com o mais recente relatório de Atividade Transfusional e Sistema Português de Hemovigilância, referente ao ano passado, em 2011 houve 271 159 dadores a efetuar dádivas de sangue, número que passou para 188 601 em 2020.

Quanto ao número de dádivas de sangue, os valores também não se revelam animadores já que em 2011 foram feitas 410 889 dádivas, mais 122 931 do que as realizadas em 2020 (287 958). Apesar de os números terem sido agravados pela pandemia, esta é uma queda que se tem vindo a verificar todos os anos desde 2011.

Portugueses respondem a apelo. Filas de espera de horas para dar sangue
Portugueses respondem a apelo. Filas de espera de horas para dar sangue
Ver artigo

"Com o avançar da situação pandémica foram surgindo numerosos constrangimentos à colheita de sangue e componentes sanguíneos, nomeadamente o trabalho a partir de casa, os estabelecimentos de ensino sem aulas presenciais e a inoperacionalidade das unidades móveis de colheita de sangue, que dificultaram, ainda mais, a realização de sessões de colheita móvel", refere o relatório.

Tendo em conta todos os constrangimento, registou-se em 2020 uma redução de cerca de 7% no total de dádivas realizadas em Portugal. Apesar de serem valores pouco animadores, o instituto refere que "face à situação epidemiológica que enfrentamos, e em comparação com outros países europeus, se considera um bom resultado". No último ano, há ainda a registar um crescimento de 2% no número de novos dadores (ultrapassando os 27 000).

Quanto à divisão por género, houve um aumento proporcional de dadores do sexo feminino, "não só dos que se inscreveram, como, e pela primeira vez", como dos que efetivamente realizaram a sua dádiva, sendo que 50,42% dos dadores que efetuaram dádiva de sangue em 2020 foram mulheres e 49,58% foram homens, lê-se no relatório.

Números que também se revelaram positivos foram os de dadores de primeira vez. "A proporção de dadores de primeira vez sofreu no entanto uma inversão relativamente à tendência verificada nos últimos anos, com um aumento na proporção de dadores de primeira vez de 1,9% (14,33% do total de dadores) em relação ao ano anterior, valor semelhante ao ocorrido em 2016 ", refere ainda o instituto.

Ao longo do ano, foram vários os apelos feitos para que os portugueses se dirigissem ao centros de doação de sangue. Apesar de muitos terem respondido ao pedido, as dádivas continuam a ser necessárias.

Como doar sangue?

Poderá dar sangue nos Centros de Sangue e Transplantação de Lisboa, Porto e Coimbra (de segunda-feira a sábado das 8h às 19h30) ou nos serviços hospitalares com recolha de sangue espalhados de norte a sul do País. Informação sobre horários e locais podem ser consultadas aqui. 

Nos locais de colheita deve:

- apresentar um documento de identificação com fotografia (Bilhete de Identidade/Cartão de Cidadão, passaporte, cartão de residente ou carta de condução)

- preencher um questionário.

Posteriormente, é avaliado por um profissional de saúde qualificado que determina a sua elegibilidade para a dádiva de sangue, através de uma avaliação clínica e exame físico (como determinação do seu peso, altura, hemoglobina e tensão arterial).

Para ser dador de sangue precisa de ter pelo menos 50kg e idade igual ou superior a 18 anos.

(fonte: SNS24.pt)

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.