Marco Silva, o português que raptou e matou a namorada em janeiro de 2017, vai mesmo cumprir prisão perpétua. Após recurso da sentença de janeiro de 2021, o tribunal da relação luxemburguês confirmou a pena máxima esta terça-feira, 11 de janeiro.

Ao longo dos últimos cinco anos, Marco Silva manteve a sua versão: inocente de todas as acusações que lhe foram imputadas, chegando mesmo a dar entrevistas sobre o caso, acusando a ex-companheira de violência verbal e de ser "mentalmente uma criança". A justiça luxemburguesa considerou o contrário.

O homem de 33 anos foi condenado de raptar a ex-companheira e mãe do filho de ambos, de apenas 5 anos, na noite de 15 de janeiro de 2017. Ana Lopes, na altura com 25 anos, foi dada como desaparecida um dia depois.

A 17 de janeiro, o carro da jovem foi encontrado em Roussy-le-Village, França, perto da fronteira com o Luxemburgo. A viatura estava completamente carbonizada e, lá dentro, encontrava-se um corpo, que as perícias confirmariam mais tarde ser o de Ana. Marco Silva foi detido seis meses após o crime. 

Em janeiro de 2021, a justiça luxemburguesa condenou Marco Silva a prisão perpétua por sequestrar, matar, queimar o corpo e o carro de Ana Lopes. Nas alegações finais, o Ministério Público assinalou a "ausência de confissão, arrependimento ou responsabilidade" por parte de Marco Silva, assim como as "mentiras e contradições".

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.