A criança de 6 anos que deu entrada na urgência pediátrica do hospital de Santa Maria, em Lisboa, com uma paragem cardiorrespiratória no sábado, 15 de janeiro, e acabou por morrer no domingo, 16, pode ter sido vítima de um engasgamento com comida. A nova hipótese é levantada pela equipa médica do hospital, conforme avança o jornal "Expresso".

Foi no momento em que os médicos entubaram o menino para reanimá-lo, uma vez que chegou à unidade sem batimento cardíaco e respiração, que foram encontrados vestígios de vómito e de engasgamento, aparentemente por comida. A equipa não conseguiu clarificar, no entanto, se terá ocorrido antes ou depois da paragem cardiorrespiratória.

Infarmed está a recolher "toda a informação clínica” sobre a criança com COVID-19 que morreu
Infarmed está a recolher "toda a informação clínica” sobre a criança com COVID-19 que morreu
Ver artigo

Segundo o INEM, não há registo de um pedido de socorro para salvar a criança que foi levada de carro para o hospital, mas tal pode ter acontecido por entupimento no sistema. “A central 112 pode não ter logo atendido ou não ter conseguido transferir o pedido de socorro para o Centro de Orientação de Doentes Urgentes, que aciona os meios, e a chamada ter sido desligada pelos pais”, admite uma fonte.

Ainda não é certo que tenha sido esta a causa da morte e esperam-se os resultados da autópsia, pedida com urgência pelo Infarmed, que foi notificado sobre o caso este domingo, uma vez que a criança tinha tomado a vacina contra a COVID-19 há cerca de uma semana e daí poderiam ter surgido efeitos adversos.

O menino de 6 anos tinha ainda testado positivo para a COVID-19, sendo a vacina e a infeção as duas causas até ao momento apontadas acerca da morte da criança.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.